Alexandre Torres, jornalista que lutou pela vida após erro médico, morre aos 70 anos

bernadetealves.com
Alexandre Torres, jornalista que lutou pela vida após erro médico, morre aos 70 anos em Brasília

É com pesar que registro o falecimento do jornalista Alexandre José Guerra Torres, aos 70 anos, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Ele estava internado no Hospital Alvorada em Brasília e se encontrava, desde dezembro de 2007, vivendo de forma vegetativa  por conta de erro médico.

O corpo do jornalista foi enterrado na manhã desta segunda-feira, 30 de outubro, no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul.

Alexandre Torres deixa a esposa, Ana Maria Torres, os filhos Alessandra, Carlos, Andrea, Isabela, Ian e Igor, e nove netos. Nossos sentimento a querida e dedicada esposa Ana Maria, filhos e netos. Que Alexandre tenha luz eterna e que Deus conforte o coração de todos os familiares.

Em comunicado, os familiares agradeceram o carinho dos amigos, parentes, médicos e profissionais de saúde que estiveram com Alexandre ao longo desses 15 anos. Também fizeram uma menção à dedicação de Ana Maria Torres, esposa do jornalista. Ela ficou firme ao lado do marido em todos os momentos. “Um exemplo de companheirismo que sempre comoveu a todos”.

Às vésperas do Natal de 2007, Alexandre sofreu um AVC, foi atendido em um hospital e submetido à cirurgia em caráter de urgência com o objetivo de drenar o sangue para diminuir a pressão intracraniana. Na época, a cirurgia foi bem-sucedida, mas por falta de atenção médica, segundo a família, o paciente se extubou (retirou o tubo responsável pela oxigenação), o que ocasionou a falta de oxigenação no cérebro, tempo suficiente para deixá-lo com sequelas irreversíveis.

De acordo com os médicos, Alexandre Torres chegou a apresentar o nível três da escala de Glasglow, no caso, praticamente morte cerebral.

bernadetealves.com
Jornalista Alexandre Torres com a esposa Ana Maria Torres e a filha Alessandra

Ao longo de 15 anos, a esposa, Ana Maria Torres, e os seis filhos buscaram ao máximo oferecer o melhor que podiam para o jornalista ter qualidade de vida. Durante a pandemia, Alexandre contraiu Covid-19 e se recuperou após tratamento de dois meses no Hospital DF Star.

Em 2013, a 9ª Vara Cível de Brasília condenou a Unimed do Brasil e a Medial Saúde S/A a indenizarem o jornalista. As empresas foram condenadas a pagar cerca de R$ 400 mil para a família. Valor não recebido até o momento.

Carreira profissional

bernadetealves.com
Jornalista Alexandre Torres, o paraibano que conquistou Brasília desde a década de 1980

Alexandre Torres chegou em Brasília em 1982 para trabalhar no Correio Braziliense, onde passou mais de 10 anos e chegou a ser chefe de Redação, saindo do jornal em 1994.

Trabalhou no Escritório de Representação do Governo da Paraíba e se tornou um dos assessores do então presidente nacional do PFL, Marco Maciel, atuando na campanha que ele foi eleito vice-presidente de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Alexandre nasceu em João Pessoa, na capital paraibana. Filho de uma funcionária pública e de um advogado e jornalista, fez carreira nos jornais O Norte, Correio da Paraíba e A União. Também passou pela Secretaria de Comunicação do Estado e pela Rádio Tabajara.

Fotos: Reprodução