“Corrupção inibe crescimento e perpetua pobreza”, diz Raquel Dodge

III Fórum Jurídico sobre Combate à Corrupção - bernadetealves.com
A procuradora-geral da República Raquel Dodge

Foi aberto hoje em Brasília o III Fórum Jurídico sobre Combate à Corrupção, promovido pela Procuradoria-Geral da República e pela Escola de Magistratura Federal da 1ª Região, em Brasília. O encontro que vai até o dia 25, reúne cerca de 150 juízes,  procuradores e especialistas nacionais e internacionais no tema.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou em seu discurso que a corrupção gera condições para o aumento do crime e que é um mal social e que deve ser enfrentado com prioridade.

III Fórum Jurídico sobre Combate à Corrupção - bernadetealves.com
III Fórum Jurídico, realizado pela Escola de Magistratura Federal da 1ª Região.

 “No Brasil e em todo o mundo, corrupção inibe o crescimento econômico, perpetua ciclo de pobreza, desestabiliza governos e ao longo da história abriu espaço de grupos perigosos e organizados para a prática de crimes”, disse a procuradora-geral da República.

A procuradora-geral da República participou do primeiro painel do fórum, que discutiu o combate à corrupção no Estado democrático de direito. Também estavam presentes o presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, e o vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia.

III Fórum Jurídico sobre Combate à Corrupção - bernadetealves.com
III Fórum Jurídico, realizado pela Escola de Magistratura Federal da 1ª Região.

O ministro Luiz Fux começou falando da importância da liberdade de imprensa e do papel primordial no combate à corrupção. “Quanto maior for a liberdade de imprensa, maior é o combate à corrupção. Relembremos que foi a imprensa que ao invés de focar nos corruptos focou nos corruptores. Foi a imprensa que focou nesta estratégia (..) Precisamos da parceria legitima da imprensa”, afirmou o ministro Fux.

III Fórum Jurídico sobre Combate à Corrupção - bernadetealves.com
O ministro Luiz Fux , vice-presidente do Supremo Tribunal Federal

Fux também disse que os ministros da Corte não devem ter medo de desagradar a população ao tomar suas decisões.“O Supremo Tribunal Federal tem compromisso com a guarda da Constituição. E nenhum receio de desagradar a opinião pública, ou de cair em impopularidade, pode fazer com que um ministro do Supremo Tribunal Federal abdique da sua independência”, disse Fux, responsável pelo plantão do STF até 1º de fevereiro.

III Fórum Jurídico sobre Combate à Corrupção - bernadetealves.com
O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, durante o III Fórum Jurídico em Brasília

O ministro destacou o Mensalão e a Lava Jato como marcos históricos no enfrentamento da corrupção, e exaltou a aplicação da Ficha Limpa pelo TSE. “A corrupção é existente há muito tempo, mas a vitória está se dando agora. É inegável a atuação e a combatividade do Ministério Público. Nunca se recuperaram tantos recursos para o erário quanto neste momento em que nós estamos vivendo”, declarou o ministro Luiz Fux.