Dia Mundial de Combate à AIDS lembra a importância da prevenção

Dia Mundial de Luta Contra a AIDS
AIDS: Todos Contra o Preconceito

O Brasil chega aos 30 anos de luta contra o HIV e Aids com registro de queda no número de óbitos por Aids no país. É o Brasil unindo forças para a conscientização sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida.

Segundo Boletim divulgado no dia 27 de novembro em Brasília, em quatro anos, a taxa de mortalidade pela doença passou de 5,7 por 100 mil habitantes em 2014 para 4,8 óbitos em 2017.  Ao comentar os novos dados o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse que além de celebrar as conquistas na ampliação da assistência, é preciso refletir sobre a importância da prevenção.

Dia Mundial de Luta Contra a AIDS
Ministro da Saúde Gilberto Occhi

“O Brasil tem dado a sua contribuição no combate à doença, com a garantia de tratamento e oferta de testes para identificar o vírus, mas é preciso conscientização da população, principalmente dos jovens, sobre a necessidade da prevenção. Só com uso de preservativos, vamos evitar e combater o HIV e a Aids”, diz o ministro Gilberto Occhi.

O vírus pode ser transmitido pelo contato com sangue, sêmen ou fluidos vaginais infectados. Algumas semanas depois da infecção pelo HIV, podem ocorrer sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, dor de garganta e fadiga. A doença costuma ser assintomática até evoluir para AIDS. Os sintomas da AIDS incluem perda de peso, febre ou sudorese noturna, fadiga e infecções recorrentes.

Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

A síndrome da imunodeficiência adquirida, mais conhecida por sua abreviação em inglês, Aids, é um mal que leva cerca de 5 mil pessoas à morte diariamente no mundo todo. É uma doença sem cura, cujo tratamento é caro. A adesão estrita aos regimes antirretrovirais (ARVs) pode retardar significativamente o progresso da doença, bem como prevenir infecções secundárias e complicações. Por isso a importância da prevenção.

Quem vê cara, não vê coração, nem o vírus da Aids. Previna-se. A vida é mais forte que o HIV.