Bombeiros coíbem incêndios e alertam para o aumento das queimadas no DF

Bombeiros coíbem incêndios florestais e alertam para prevenção - Bernadete Alves

O clima seco e quente desta época do ano propicia o aumento de queimadas. Um período que dá ao Corpo de Bombeiros do DF muito trabalho. Só nos primeiros 15 dias de agosto, os bombeiros atenderam 995 chamados para combater o fogo no cerrado, um aumento de 28% em relação ao ano passado.

Segundo a corporação, na área rural a queimada para replantação também é uma das principais causas de incêndio, além de fogueiras, acesas sem os devidos cuidados, nos espaços destinados a acampamentos e bitucas de cigarros jogadas nas estradas.

Bombeiros coíbem incêndios florestais e alertam para prevenção - Bernadete Alves

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal atendeu de Janeiro a Julho deste ano, 3.104 ocorrências de incêndios florestais. Um média de quinze por dia. O número é maior do que o registrado pela corporação no mesmo período do ano passado, quando houve 2.465 ações dos profissionais.

O coronel Álvaro Albuquerque, diz que o grande volume de chuvas no começo deste ano contribuiu para o aumento significativo da área de verde no cerrado – o que, no período de estiagem, cresce a possibilidade de queimadas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O comandante especializado do CBMDF explica que  com quase 80 dias sem chuva, umidade relativa do ar abaixo de 30% nas horas mais quentes do dia, bitucas de cigarro e a queima de lixo provocam grandes incêndios.

“Na seca, o fogo perde o controle muito rápido. Chamem um órgão de limpeza para fazer a remoção de entulhos e não jogue cigarros pela janela nas vias, ele pode cair perto da vegetação”, aconselha o coronel Álvaro Albuquerque.

Bombeiros coíbem incêndios florestais e alertam para prevenção - Bernadete Alves

Como forma de prevenir os incêndios florestais, a corporação realiza uma série de atividades por meio da Operação Verde Vivo, colocada em prática anualmente. A Operação Verde Vivo é executada em quatro fases. A primeira delas ocorre entre abril e maio. Nesta etapa a corporação foca na conscientização da comunidade, em especial dos moradores de áreas rurais. É também o período em que bombeiros são capacitados para atuar no combate a incêndios no Cerrado.

Bombeiros coíbem incêndios florestais e alertam para prevenção - Bernadete Alves

Na segunda fase, os militares ficam de prontidão para o combate às chamas. A terceira fase – que compreende os meses de agosto a outubro – é a mais crítica, pois compreende o período de estiagem, em que as queimadas tendem a aumentar.

Os Bombeiros também realizam palestras em escolas, visitas em condomínios orientando sobre as causas e os cuidados e como proceder em casos de incêndios florestais. A participação da população é primordial no combate às queimadas.

“Alguns comportamentos ainda permanecem, como fogueiras mal condicionadas ou limpeza de terreno com uso de fogo. Mas, em 20 anos de dedicação à área ambiental, percebo que a população está mais consciente e é perceptível a mudança de comportamento”, relatou Albuquerque.

Ao identificar um incêndio, a dica dos Bombeiros é procurar um local seguro, distante do fogo e da fumaça. Ligar para o 193 e indicar o local exato do incêndio, se possível, com pontos de referência.

bernadetealves.com