Gracia Cantanhede toma posse na ALB em cerimônia na Embaixada de Portugal

Gracia Cantanhede toma posse na ALB em cerimônia na Embaixada de Portugal - Bernadete Alves
Gracia Cantanhede toma posse na ALB em cerimônia na Embaixada de Portugal

Palavras são as ferramentas do ofício das ideias e a advogada e escritora Gracia Cantanhede, mineira de nascimento e brasiliense de coração, é um gênio criativo na arte da literatura. Suas obras tem arte e criatividade, exercem fascínio e nos levam a refletir sobre o nosso papel na sociedade e no cotidiano da vida.

Predicados que a levaram a integrar a Academia de Letras de Brasília, fundada em 1982, ao lado de respeitados escritores da capital do país, como Amador de Arimathéa, Carlos Ayres Britto, Adirson Vasconcelos, José Carlos Gentili, Lincoln Magalhães da Rocha, Valmir Campelo, Edylcéa De Paula, Francisco Adalberto da Nóbrega, Jane Godoy, Iran de Lima, Hugo Studart, dentre outros premiados escritores.

bernadetealves.com
José Carlos Gentili, Gracia e Getúlio Cantanhede e o presidente da ALB Amador de Arimathea

A solenidade de posse da nova confreira Gracia Cantanhede, na Academia de Letras de Brasília, aconteceu no auditório da Embaixada de Portugal, sede do Instituto Camões, com a presença de inúmeras personalidades acadêmicas, jurídicas e da sociedade de Brasília.´

A escritora Gracia Cantanhede, foi recebida  pelo presidente da ALB Amador de Arimathéa  e pelos acadêmicos Valmir Campelo, José Carlos Gentili e Iran de Lima sob os aplausos de um auditório completamente lotado.

bernadetealves.com
A escritora Gracia Cantanhede com José Carlos Gentili, Thiago Cantanhede, Getúlio Cantanhede, Amador de Arimathea e Gabriel Cantanhede

Gracia Cantanhede tem dupla cidadania: brasileira e italiana. Nasceu em Campos Gerais (MG) e chegou em Brasília em 1972. É advogada, Procuradora Federal aposentada da Advocacia Geral da União e renomada escritora, com excepcional dedicação à literatura, já tendo oito livros publicados: Palavra de Mulher (1994), Jogo de Persona (1997), Mulheres Apaixonadas (2013), Madona Chegou (2017), Bacia das Almas (2017), Tanto Faz se For Mentira (ou Verdade) 2018, Cortina de Contas (2018), e Brasil, Meu Amor (2019). Gracia Cantanhede participou ainda de 19 antologias de contos, crônicas e poesias e foi vencedora do Concurso Cultural Internacional da Editora Abril, com o poema AUTORRETRATO, em 1998.

Gracia Cantanhede, foi saudada pelo acadêmico Valmir Campelo, ministro aposentado do TCU. “Tenho a grata incumbência de, em nome desta Casa, saudar a nova confreira, Gracia Cantanhede, na ocasião solene em que a consagrada escritora se incorpora à honrosa companhia dos ilustres membros desta prestigiosa Academia de Letras de Brasília”, Campelo.

bernadetealves.com
Valmir Campelo saudando a nova integrante da ALB

A noite é de festa. Há momentos nesta majestosa instituição de letras que jamais perdem a singularidade. Este, de hoje, pertence a esse conjunto de situações especiais. Possui o simbolismo das nossas mais caras tradições, marcando de forma indelével a alma de cada um de nós. Digo que a noite é de festa porque a Academia de Letras de Brasília abre suas portas para receber a sua nova integrante. Seja bem-vinda, Gracia Cantanhede!”

“O Instituto Camões, templo de preservação do idioma, se dignifica e se engrandece com a sua presença. Vossa Senhoria passa a integrar a Academia de Letras de Brasília exclusivamente pelo mérito pessoal de quem sempre se empenhou na nobre tarefa de fazer literatura”.

Valmir Campelo parabenizou a nova acadêmica pela conquista, cumprimentos os presentes e a família da escritora. “Congratulo-me, com o seu esposo Getúlio e os seus filhos Thiago e Gabriel, aos quais apresento os mais afetuosos cumprimentos, extensivos aos demais familiares e amigos que igualmente tornam prestigioso o evento de hoje com as suas presenças”, declarou.

bernadetealves.com
Iran de Lima, José Carlos Gentili, Amador de Arimathea, Valmir Campelo e Gracia Cantanhede

Gracia falou da riqueza da literatura nacional e dos incentivadores que encontrou ao longa da vida literária. “Um dos efeitos benéficos da boa literatura ocorre no plano da linguagem. Uma comunidade sem literatura escrita se expressa com menos precisão, riqueza de matizes do que outra, cujo principal instrumento de comunicação, a palavra, tenha sido cultivado e aperfeiçoado graças aos textos literários. Nada como as boas leituras. A literatura forma cidadãos críticos e independentes, difíceis de manipular, em permanente mobilização espiritual e coma mente sempre em ebulição.”, declarou a acadêmica da ALB.

Gracia Cantanhede passa a ocupar a cadeira nº 23, cujo patrono é o poeta Gonçalves Dias. “Gonçalves Dias foi poeta, professor, crítico de história, etnólogo, nos seus poucos 41 anos de idade, quando faleceu em naufrágio, em Maxio dos Atins, no Maranhão. Sua poesia é eminentemente autobiográfica, inspirada ora na natureza, ora na religião, mas sobretudo fruto de seu caráter e temperamento. Sua obra muito enriquece a cena cultural brasileira, o que nos leva à reflexão sobre o papel da literatura no mundo. Ao contrário da ciência e da técnica, a literatura foi e continuará sendo  um desses denominadores  comuns da experiência  humana, graças ao qual  os seres vivos se reconhecem  e dialogam.”, explicou Gracia Cantanhede..

Ao longo de sua produção literária, Gracia Cantanhede, explorou várias linguagens como o conto, a poesia, a crônica, o romance e até um livro de pensamentos. “Lancei meu primeiro livro em 1994, mas sempre escrevi. Nesse sentido, a maturidade tem me trazido muita satisfação, pois me dedico, cada vez mais, ao que acredito ser minha razão de viver: escrever”, revela a escritora que tem mais três livros em fase de produção.

bernadetealves.com
Thamis Baldoni Peres, Terezinha Baldoni Figueiredo, Francêska Baldoni Campos do Amaral

Isto revela o prazer da escrita diária que Gracia faz há anos.  Nas redes sociais a escritora compartilha textos exclusivos sobre temas diversos, levando as pessoas de diferentes idades e nacionalidades a  refletir sobre os caminhos da contemporaneidade numa bem-vinda crônica cotidiana.

bernadetealves.com
Átila Lins e Rita Lins na posse de Gracia Cantanhede na ALB, na Embaixada de Portugal

Após a solenidade, Gracia Cantanhede, recebeu os cumprimentos em um dos salões da Embaixada de Portugal, seguido de saboroso coquetel.

bernadetealves.com
Irene Borges, Leinha Soares, Marli Nogueira, Vera Coimbra, Mônica Cruz e Jacqueline Magalhães
bernadetealves.com
Heloísa Valadão, Moema Leão e Iracema Torres, na Embaixada de Portugal
bernadetealves.com
Rayla Nascimento e Gabriel Cantanhede
bernadetealves.com
Ana Paula Tomaz e Thiago Cantanhede
bernadetealves.com
O subprocurador-geral da República Getúlio Cantanhede, Gracia Cantanhede e Gabriel Cantanhede