Frio e baixa umidade: alerta para os problemas respiratórios

bernadetealves.com
Amanhecer no Congresso Nacional

O mês de maio chegou trazendo frio e isso associado com à queda na umidade prejudica o sistema respiratório com o surgimento de infecções e crises alérgicas. Em Brasília, a chegada do frio, antes da hora, coincide com a chegada da seca. Condições que comprometem muito a saúde e o bem-estar da população.


No Distrito Federal o dia 3 de maio amanheceu com temperatura de 12ºC em Planaltina e 14ºC no Plano Piloto com sensação térmica de 9ºC devido as rajadas de vento e umidade relativa do ar em torno de 30%.


Com as temperaturas cada vez mais baixas, o tempo mais seco e com pouquissima possibilidade de chuva, a poluição se acumula na atmosfera e prejudica o sistema respiratório. Além disso, por conta do frio, as pessoas tendem a permanecer em locais fechados, o que favorece o aparecimento das infecções sazonais.

bernadetealves.com
Frio e baixa umidade: alerta para os problemas respiratórios

Segundo o pneumologista Ricardo Melo, o ar seco irrita as mucosas e desencadeia quadros alérgicos como a rinite, que não é contagiosa. Com isso, há a inflamação da mucosa nas cavidades nasais e nos seios da face. Também é comum a coceira nos olhos e nariz e irritação de garganta.

Os idosos e as crianças compõem a parcela da população que mais inspira cuidados em relação a doenças respiratórias. “Nos extremos de idade, há uma tendência a apresentar sinais mais graves da gripe. No coronavírus não, qualquer pessoa pode apresentar uma má resposta”, diz o especialista.

bernadetealves.com
Sistema respiratório

O maior risco é que infecções como a gripe evoluam para quadros mais graves como a pneumonia, ou piorem outras doenças crônicas como diabetes e hipertensão. Neste ano, assim como em 2020, a Covid-19 também é uma preocupação, já que a propagação do coronavírus ocorre sobretudo pelo ar, e cujos sintomas são muito semelhantes aos das infecções respiratórias.


Sintomas das doenças respiratória

bernadetealves.com
Doenças respiratórias
  • Resfriado: espirro, coriza, congestão nasal e mal-estar
  • Gripe: febre, dor no corpo, dor de cabeça e calafrios
  • Sinusite: dor de cabeça, secreção nasal, febre, cansaço, coriza e dor muscular
  • Rinite: espirros, coriza e nariz entupido
  • Asma: dificuldade de respirar, chiado e aperto no peito, respiração curta e rápida


O resfriado está entre as doenças mais comuns e é frequentemente confundido com a gripe. Contudo, os sintomas são mais brandos e incluem espirro, coriza, congestão nasal e mal-estar. No caso da gripe, é comum febre, dor no corpo, dor de cabeça e calafrios.

bernadetealves.com

Covid-19: casos assintomáticos, leves, moderados, graves e críticos. Sintomas podem evoluir de tosse, dor de garganta ou coriza, seguido ou não de anosmia, ageusia, diarreia, dor abdominal, febre, calafrios, mialgia, fadiga e/ou cefaleia a insuficiência respiratória grave, disfunção de múltiplos órgãos, pneumonia grave, por exemplo.

A prevenção segue uma cartilha bastante conhecida e repetida ao longo da pandemia de Covid-19: lavar as mãos com água e sabão ou álcool em gel, e evitar tocar olhos, nariz e boca após o contato com superfícies, assim como evitar o contato com pessoas doentes.

bernadetealves.com
Frio e baixa umidade: alerta para os problemas respiratórios

Dificuldade de respirar, narinas ardendo e podendo sangrar, olhos lacrimejando e dor de cabeça, são alertas para procurar ajuda médica. O pneumologista Ricardo Melo, diz que todas as infecções e alergias têm sintomas parecidos: entupimento das vias aéreas superiores, tosse, espirro, dor de garganta e falta de ar, em geral, e que um exame médico mais minucioso é que vai definir o diagnóstico, a partir do histórico do paciente.

“Nesta época, as gripes podem precipitar quadros de sinusite e asma, e o agravamento de doenças pré-existentes, e a própria pneumonia. Todo esse conjunto de fatores e infecções levam à precipitação de alergias que, se não forem bem cuidadas, podem levar à infecções. É um ciclo vicioso”, diz o pneumologista.

O médico diz que as pessoas não devem se automedicar, e lembra que o Sistema Único de Saúde (SUS) fornece medicamentos para tratar essas infecções.

bernadetealves.com
Ponte JK no Lago Paranoá

Segundo o Inmet a expectativa é de que além das baixas temperaturas, a umidade relativa do ar também diminua. Segundo Francisco de Assis, o clima seco, mais próximo do inverno da capital, vai aumentar depois da segunda quinzena de maio.

Fotos: Divulgação