Candidatos ao governo do Distrito Federal participam do 1º Debate na Band

bernadetealves.com
Candidatos ao governo do Distrito Federal em debate na TV Bandeirantes


A TV Bandeirantes promoveu na noite de domingo (7), no Dobo Studios, no Lake Side Apart Hotéis, o primeiro debate entre os sete candidatos ao governo do Distrito Federal.


Estiveram presentes o governador Ibaneis Rocha (MDB), o ex-governador e ex-senador Paulo Octávio (PSD), o senador Izalci Lucas (PSDB), a senadora Leila Barros (PDT), o ex-secretário de Educação Rafael Parente (PSB), o deputado distrital Leandro Grass (PV),e a conselheira tutelar Keka Bagno (PSOL).


O debate, que teve a mediação da jornalista Milena Machado, foi dividido em cinco blocos.

bernadetealves.com
Jornalista Milena Machado, mediadora do 1º debate da Band com postulantes ao GDF


Primeiro bloco: candidatos responderam a perguntas escolhidas pela produção do debate. Os temas discutidos foram saúde pública e desigualdade entre escolas públicas e privadas. Cada candidato teve um minuto e meio para responder.


Segundo bloco: candidatos fizeram perguntas entre si sobre assistência social, filas nos Centros de Assistência Social (Cras), segurança pública, desemprego, inadimplência e transporte público.

bernadetealves.com
Rafael Parente, Keka Bagno , Paulo Octávio, Ibaneis Rocha, Milena Machado, Leandro Grass, Izalci Lucas e Leila Barros, postulantes ao GDF em debate na Band


Terceiro bloco: jornalistas fizeram perguntas e escolheram quem responderia e quem comentaria a resposta.


Quarto bloco: candidatos fizeram perguntas entre si sobre temas como investimentos no Entorno do DF, educação, pandemia de Covid-19 e privatizações.


Quinto bloco: considerações finais de cada candidato. A ordem de fala foi definida a partir de um sorteio.

Considerações finais

bernadetealves.com
Rafael Parente, Keka Bagno , Paulo Octávio, Ibaneis Rocha, Milena Machado, Leandro Grass, Izalci Lucas e Leila Barros, postulantes ao GDF em debate na Band


Leandro Grass, do PV, afirmou que, como deputado distrital, fez aquilo que a população esperava dele. Segundo o candidato, o programa de governo é composto por “propostas reais para os verdadeiros problemas que essa cidade enfrenta” e que, caso eleito, seu objetivo é “recuperar os empregos, reduzir as desigualdades, combater a fome que tomou conta da capital do país”.

bernadetealves.com
Leandro Grass do PV, durante debate da Band entre candidatos ao GDF


Keka Bagno, do PSOL, declarou que pretende priorizar trabalho, renda, saúde, educação e direitos da população LGBTQIA+. “Acreditamos que poderemos sair do mapa da fome. Queremos que crianças e adolescentes não estejam sofrendo com adoecimento de saúde mental, que as mulheres estejam em segurança e não sejam vítimas de violência doméstica e feminicídio”, disse a candidata.

bernadetealves.com
Conselheira tutelar Keka Bagno candidata ao GDF pelo PSOL

Ibaneis Rocha, do MDB, defendeu o seu mandato como governador do DF e afirmou que avançou em diversas pautas citadas na campanha anterior. “Tínhamos delegacias fechadas, não existiam obras nas ruas, não tínhamos desenvolvimento social. Temos a certeza de que fizemos um governo que merece do eleitor a confiança. Merece pela força de trabalho que imprimimos nesses três anos e oito meses.”


Izalci Lucas, do PSDB, disse que seu governo irá oferecer “saúde de verdade; emprego para todos, em especial para os jovens; transporte digno; oportunidades para todos. Vamos trabalhar durante todo o governo 24 horas [por dia], cuidando das pessoas, principalmente daquelas que mais precisam e foram esquecidas neste governo”.

bernadetealves.com
Izalci Lucas do PSDB postulante ao Governo do Distrito Federal


Paulo Octávio, do PSD, afirmou que vai apresentar 50 metas para a gestão, entre elas a criação de 10 mil vagas de emprego, no final de janeiro do ano que vem. “Eu quero acabar com o analfabetismo em Brasília. O presente de fim de ano vai ser zerar [o índice]. Quero doar um projeto de hospital para Valparaíso, para que a população de lá não tenha que vir a Brasília usar nossos hospitais”, disse o candidato.

bernadetealves.com
Paulo Octávio do PSD, candidato ao Governo do Distrito Federal


Leila Barros, do PDT defendeu a atuação como senadora pelo Distrito Federal. “Nesses quatro anos no Senado, meu mandato foi um dos mais eficientes, com 15 leis que impactaram de forma decisiva, seja na saúde, na educação, para mulher, assistência social.” Barros afirmou que enviou mais de R$ 115 milhões ao DF em emendas parlamentares, algumas realizadas e outras não.

bernadetealves.com
Leila Barros, candidata pelo PDT ao Governo do Distrito Federal


Rafael Parente, do PSB, apontou a educação como ponto importante para mudar a realidade da capital. “Acredito que só com educação a gente consegue acabar com a reprodução da miséria. Depois aprendi que as grandes transformações são feitas pelos governos. Precisamos das decisões dos governantes para fazermos um trabalho sério”, disse o candidato.

bernadetealves.com
Rafael Parente, candidato ao GDF pelo PSB


Também chamou a atenção o questionamento do atual governador do DF, Ibaneis Rocha, a Paulo Octávio. O governador perguntou se ele vai receber recursos públicos para suas empresas de construção e comunicação. O ex-governador e ex-senador respondeu de pronto. Assegurou que não receberá nenhuma verba pública.

bernadetealves.com
Keka Bagno, Paulo Octávio e Ibaneis Rocha, durante 1º Debate realizado pela Band no domingo 7 de agosto


O senador José Antônio Reguffe, que desistiu de concorrer ao GDF, foi elogiado por dois postulantes ao Executivo local. Paulo Octávio mencionou Reguffe e destacou pontos de concordância entre os dois, a isenção de impostos em medicamentos e o mutirão de cirurgias.


Rafael Parente foi quem mais citou o senador Reguffe. O nome do PSB chegou, inclusive, a alfinetar os colegas que também falaram do senador, chamando-os de “interesseiros”. Parente elogiou Reguffe, a quem se referiu como “íntegro”.


Leandro Grass preferiu elogiar o ex-presidente Lula e candidato do PT à presidência da República. A candidata keka Bagno também elogiou o petista. A candidata pelo PSOL relacionou suas propostas às bandeiras defendidas por Lula.

bernadetealves.com
Rafael Parente, Keka Bagno , Paulo Octávio, Ibaneis Rocha, Milena Machado, Leandro Grass, Izalci Lucas e Leila Barros, postulantes ao GDF em debate na Band


O governador Ibaneis foi o único que mencionou Bolsonaro. A chapa do governador, formada por Celina Leão (PP) de vice e Flávia Arruda (PL),ao Senado, recebeu o aval do presidente.


Leandro Grass questionou Ibaneis Rocha a respeito dos valores que o DF recebeu do chamado orçamento secreto, escândalo do governo federal. O senhor recebeu R$ 22 milhões e R$ 7 milhões foram para o Piauí”, colocou o distrital, apontando que os valores foram usados em obras próximas à fazenda que o governador tem, no interior do estado.


A gestão do BRB também foi criticada por Leandro Grass, que defendeu a ampliação do microcrédito pela instituição. “Não podemos ter o banco da cidade tratando mal a própria cidade. O BRB poderia ser o banco do desenvolvimento, que apoia os agricultores familiares, expulsos das terras por grileiros e que não têm recursos para comprar máquinas e insumos. O BRB deveria apoiar a inovação, as startups e os pequenos e micronegócios. Era para ser o banco de Brasília, não do governador nem do time do governador”, questionou o candidato do PV.

bernadetealves.com
Ibaneis Rocha, candidato a reeleição, durante debate na Band


Os sete postulantes ao Governo do Distrito Federal no pleito deste ano, debateram frente a frente e apresentaram aos brasilienses as propostas para os próximos quatro anos da Capital da Esperança.


O Palácio do Buriti em 2022
, está sendo disputado por 11 políticos, anunciados durante o período das convenções partidárias, concluído na última sexta-feira.

bernadetealves.com
Paulo Octávio, candidato ao GDF pelo PSD, no primeiro debate na Band no domingo, 7 de agosto


É importante acompanharmos todos os debates e conhecermos as intenções de cada um. Propor é uma coisa. Cumprir é para quem tem competência, experiência, comprometimento com o povo e respeito com o bem público.


O que tem de pessoas que querem o poder a qualquer preço não é pouco.

Calendário eleitoral

  • 15 de agosto: limite para registro de candidaturas
  • 16 de agosto: Começa campanha na rua (e on-line). A partir desta data, é permitida a propaganda eleitoral na internet e na imprensa escrita; o uso de alto-falantes (em determinados horários); e a realização de comícios, caminhadas, carreatas, entre outras modalidades de campanha. Há um prazo para que estas formas de publicidade terminem antes da realização do primeiro turno, variando entre 29 de setembro e 1º de outubro a depender do tipo de divulgação. Para o segundo turno, a realização de campanha é retomada em 3 de outubro.
  • 26 de agosto a 29 de setembro: propaganda eleitoral gratuita na TV e rádio de primeiro turno.
  • 29 de setembro: último dia para debate na TV e rádio antes da realização do primeiro turno, mas há uma tolerância para que o debate se estenda até às 7h do dia 30 de setembro, segundo resolução do TSE.
  • 2 de outubro: primeiro turno.
  • 7 de outubro (a 28 de outubro): propaganda eleitoral gratuita na TV e rádio de 2º turno.
  • 30 de outubro: segundo turno.

Fotos: Afonso Ferreira/TV Globo, Agência Brasília e Metrópoles