Toffoli ressalta papel da Justiça na Abertura do Ano Judiciário

bernadetealves.com
Sessão Solene de Abertura do Ano Judiciário 2020 no STF

O Plenário do Supremo Tribunal Federal foi palco da solenidade de Abertura do Ano Judiciário 2020, na manhã desta segunda-feira, dia 03.  A Sessão Solene marca o início das atividades jurisdicionais após recesso forence.

O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, abriu a cerimônia ao lado do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, do presidente do Senado Davi Alcolumbre, do presidente da Câmara Rodrigo Maia, do procurador-geral da República, Augusto Aras, do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, e dos ministros da Corte Suprema. Dois ministros que compõem a Corte não estiveram presentes à cerimônia: Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

bernadetealves.com
Augusto Aras, Davi Alcolumbre, Dias Toffoli, Hamilton Mourão, Rodrigo Maia e Felipe Santa Cruz, na Sessão Solene de Abertura do Ano Judiciário 2020, no Plenário do STF

O ministro Dias Tóffoli ressaltou o papel da Justiça “em promover a segurança jurídica necessária à retomada do desenvolvimento”.“Gerar confiança, previsibilidade e segurança jurídica: esse é o objetivo primordial do Poder Judiciário na atual quadra da história do país, em que se anseia pela retomada do crescimento econômico e do desenvolvimento social sustentável”, disse o ministro.

O presidente do Supremo fez também acenos ao Legislativo e ao Executivo, ao dizer que o trabalho do Supremo será feito “mantendo o devido diálogo institucional com os demais Poderes”.

bernadetealves.com

Toffoli dirigiu-se ao cidadão brasileiro, a quem reafirmou “o compromisso do Poder Judiciário com a promoção dos direitos e garantias fundamentais”. Na ocasião, ele anunciou o lançamento de uma Carta de Serviços, que explica ao cidadão como pode acessar e utilizar os serviços prestados pelo Supremo.

bernadetealves.com

O presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, enalteceu o papel de sua instituição na defesa da democracia e dos direitos individuais dos cidadãos. O presidente da OAB destacou a importância dos mais de um milhão de advogados brasileiros para a manutenção do Estado Democrático de Direito. Felipe Santa Cruz defendeu a inviolabilidade das atividades profissionais da categoria garantida pelo artigo 133 da Constituição Federal.

bernadetealves.com
Presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, discursa na Abertura do Ano Judiciário 2020 no Plenário do STF

 Exaltou a aprovação no Congresso de mudanças legislativas como a nova Lei de Abuso de Autoridade, que entrou em vigor no início do ano e criminalizou diversas condutas de autoridades como policiais, fiscais e juízes. Passou a ser crime, por exemplo, negar ao defensor acesso aos autos de processo, ilícito com pena de seis meses de prisão.

“Inauguramos o ano judiciário com a vigência de importantes legislações aprovadas no Congresso Nacional. Cito, em especial, a lei de abuso de autoridade, que estabeleceu, em consonância com os ditames constitucionais, a criminalização da violação das prerrogativas dos advogados”, afirmou Santa Cruz.

O presidente da OAB destacou a importância dos mais de um milhão de advogados brasileiros para a manutenção do Estado Democrático de Direito. Felipe Santa Cruz defendeu a inviolabilidade das atividades profissionais da categoria garantida pelo artigo 133 da Constituição Federal.

bernadetealves.com
Augusto Aras,procurador-geral da República, na Sessão Solene de Abertura do Ano Judiciário 2020

O procurador-geral da República, Augusto Aras, começou dizendo que: “é papel de cada um o exercício da cidadania permanente, contínua e duradoura”, com equilíbrio entre desenvolvimento e sustentabilidade. Ele encerrou seu discurso destacando que as instituições republicanas estão firmes e que são necessárias medidas urgentes para o aprimoramento de instrumentos que contribuam com a segurança pública e o combate à criminalidade.

bernadetealves.com

Augusto Aras, por sua vez, reiterou o compromisso do Ministério Público com “uma atuação mais preventiva para reduzir conflitos sociais”. Ele destacou os desafios trazidos por inovações tecnológicas e também o combate à criminalidade, “que infelizmente adentra o interior dos nossos estados, das nossas unidades da federação, exigindo medidas urgentes, especialmente no ano eleitoral que se inicia”.

“Violência e criminalidade ainda ceifam vidas inocentes que inviabilizam os investimentos no país, atravancando o desenvolvimento econômico e social”, acrescentou Augusto Aras.

bernadetealves.com
Vice-presidente da República, General Hamilton Mourão

O vice-presidente Hamilton Mourão, que representou o presidente Jair Bolsonaro, disse que, ao definir políticas públicas, o governo observa e pratica sempre a separação e a independência dos Poderes.

“Esforçamo-nos para ter a exata compreensão do papel de cada um dos Poderes dentro do sistema de freios e contrapesos, consagrados na nossa Constituição de 88. De outro lado, ficou claro que não é necessário utilizar-se de condutas antirrepublicanas para aprovação de reformas estruturantes que o país precisa, como foi a aprovação da reforma da Previdência, que contou com o comprometimento de todos os Poderes e da sociedade brasileira”, disse Mourão.

bernadetealves.com

Para ele, depois da reforma da Previdência, “a aprovação das reformas administrativa e tributária é fundamental para a consolidação de um Estado democrático eficiente e justo na prestação dos serviços públicos”. O general  Hamilton Mourão disse que a separação e a independência entre os Poderes “foram e são reafirmados”.

bernadetealves.com
Presidente do TJDFT, Romão Cícero de Oliveira, ministros André Mendonça e Sérgio Moro, na Abertura do Ano Judiciário 2020

A Abertura do Ano Judiciário 2020 contou com as presenças dos presidentes do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio de Noronha; do Superior Tribunal Militar, Marcus Vinicius Oliveira dos Santos; do Tribunal Superior do Trabalho, João Batista Brito Pereira, do TJDFT, Romão Cícero de Oliveira,  ministros aposentados do STF, os ministros do Executivo Sérgio Moro, da Justiça e Segurança Pública, Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência, André Mendonça, da AGU, integrantes das Forças Armadas, do CNJ, de associações de magistrados e advogados.

Fotos: Rosinei Coutinho/SCO-STF