Heróis da 2ª Guerra Mundial vencem guerra contra Covid 19

bernadetealves.com
O brasileiro Ermando Armelindo Piveta, da Força Expedicionária Brasileira (FEB), se curou do coronavírus, no HFA em Brasília

A covid-19 vem fazendo milhares de vítimas no mundo inteiro, mas felizmente, graças ao trabalho da ciência e também dos profissionais de saúde, heróis que todos os dias colocam sua vida em risco para salvar aqueles que precisam, a luz da esperança ilumina nossos corações. Claro que ainda temos um longo caminho a percorrer até superarmos esta situação, e a vitória sobre o coronavírus depende de cada um e do nosso comprometimento com o isolamento e as medidas de proteção.

Contrariando a ideia de que o coronavírus seria uma sentença de morte para os mais idosos, a vitória de pessoas de 90 anos a 104 anos sobre a Covid-19, dá esperança aos profissionais da área de saúde, cientistas ,autoridades mundiais e todos nós. Essa é uma das notícias positivas que, pouco a pouco, estão nos trazendo esperança e acalmando nossos corações, neste momento crítico.

A cura do brasileiro Ermando Armelindo Piveta, da italiana Ada Zanusso, do britânico Albert Chambers, da italiana Alma Clara Corsini, da britânica Rita Reynolds, Jack Bowden, americano William Bill Lapschies, da italiana Giuseppina Nerozzi de Souza,e de tantas pessoas por este mundo afora, é a prova de que para Deus nada é impossível, que milagres acontecem todos os dias e que ninguém morre antes de sua hora.

bernadetealves.com
O brasileiro Ermando Armelindo Piveta, de 99 anos, vence a guerra da Covid-19

O Brasil enviou 25 mil militares para lutar na Itália contra o nazismo de Adolf Hitler e da Alemanha. Muitos morreram e os sobreviventes, na volta, foram saudados como heróis. Agora 75 anos depois estes heróis saem vitoriosos da guerra contra a Covid-19.

O brasileiro Ermando Armelindo Piveta, de 99 anos, combateu na Segunda Guerra Mundial  em 1945 e voltou ao Brasil como vitorioso ao ajudar o mundo a se livrar do nazismo. O ex-soldado brasileiro que fez parte da Força Expedicionária Brasileira (FEB), se curou do coronavírus. Venceu em 2020 a guerra da Covid-19.

Piveta estava internado desde o dia 6 de abril e havia sido diagnosticado com covid-19. Ao deixar o Hospital das Forças Armadas, em Brasília, na tarde de 14 de abril, Ernando Piveta foi aplaudido pelos médicos e enfermeiros e por todos nós da imprensa. Ernando Piveta afirmou que vencer a doença ‘foi maior do que vencer na guerra’.

bernadetealves.com
O brasileiro Ermando Armelindo Piveta, da Força Expedicionária Brasileira (FEB), se curou do coronavírus

O Ministério da Defesa publicou: “Ernando vence mais uma batalha, agora contra o novo #Coronavirus, recebendo alta no mesmo dia em que se comemora os 75 anos da “Tomada de Montese”, exitosa campanha das tropas brasileiras na Itália, durante a 2ª Guerra Mundial”.

Italiana de 95 anos foi a primeira do altíssimo grupo de risco a vencer a Covid-19. Alma Clara Corsini estava internada desde o dia 5 de março e teve a cura anunciada nesta sexta-feira (20).

bernadetealves.com
Italiana Alma Clara Corsini , 95 anos, se curou da Covid-19

Alma Clara é uma das primeiras pessoas a serem curadas do novo coronavírus na província italiana de Modena, ao norte da Itália, um dos países mais afetados pela pandemia da covid-19. A informação é da Gazzetta di Modena.

Ada Zanusso, idosa italiana de 104 anos, se torna a pessoa mais velha do mundo a sobreviver ao coronavírus. A recuperação foi elogiada por seus médicos como um “sinal de esperança” entre todas as mortes trágicas dessa pandemia.

O Science Times informou que Ada Zanusso, mãe de quatro filhos e avó, foi infectada pelo coronavírus chinês em uma casa de repouso em Biella, no norte da Itália, em 17 de março. Ela desenvolveu febre e teve dificuldades respiratórias antes de receber um diagnóstico oficial.

Ada também testemunhou pessoalmente a gripe espanhola, que matou 50 milhões de pessoas em todo o mundo. Embora não houvesse consenso sobre a origem do vírus, os especialistas concordaram que um terço da população, ou seja, 500 milhões de pessoas, havia sido infectada.

Ada não é a única centenária a sobreviver ao coronavírus chinês. Outra mulher italiana de 102 anos, chamada Italica Grondona, se recuperou da Covid-19 na cidade italiana de Gênova, no norte da Itália, depois de passar mais de 20 dias no hospital.

bernadetealves.com
O veterano americano William Bill Lapschies, de 104 anos, venceu a guerra da Covid-19

O Veterano da Segunda Guerra Mundial dos EUA de 104 anos, William Bill Lapschies, venceu a guerra da Covid-19. Nascido em 1916 na cidade de Salem, no Oregon, Bill, como é chamado, tem muita história pra contar. Além de ter sobrevivido ao maior conflito armado da humanidade, ele também é sobrevivente da gripe espanhola, que infectou mais de 500 milhões de pessoas entre 1918 e 1920.

Segundo  a emissora americana Koin, William apresentou sintomas da infecção pelo vírus no dia 5 de março. Após descobrir o diagnóstico, no dia 10, Bill, que mora em um casa para veteranos de guerra na cidade de Lebanon, também no Oregon, foi colocado em isolamento e tratado pela equipe do local.

Em mais uma história comovente, um idoso de 101 anos foi curado do novo coronavírus (Sars-CoV-2) e voltou para sua casa em Rimini, na Itália, na noite do dia 26/03/2020.A notícia foi divulgada pela vice-prefeita da cidade, Gloria Lisi. “Nesta manhã, me deram essa boa notícia: um homem de Rimini, positivo para covid-19, recebeu alta do hospital Infermi de Rimini e voltou para a casa de sua família”, disse Lisi.

Segundo as informações repassadas por Lisi, o “senhor P.” nasceu em 1919 em meio a outra “trágica pandemia mundial”, a da gripe espanhola. “Cento e um anos, o século foi quase vivido inteiro por ele. Ele viu de tudo, o senhor P. Guerras, fome, dores, progresso, crises e ressurreições. Ultrapassando a barreira centenária, o destino lhe colocou esse novo desafio, invisível e terrível ao mesmo tempo”.

bernadetealves.com
O herói britânico Albert Chambers, de 99 anos, vence a guerra da Covid-19

O herói britânico Albert Chambers, que faz 100 anos em julho, lutou contra os nazistas alemães e, agora, mostra saúde de ferro ao derrotar o coronavírus. No dia 10 de abril ele deixou o hospital da Inglaterra curado da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Albert, que mora em Doncaster, cidade a 275 quilômetros de Londres, deixou a unidade de saúde numa cadeira de rodas, mas forte e carismático. Num vídeo, ele disse: “Eu agradeço tudo que vocês fizeram por mim. Vocês não poderiam ter feito melhor”. Ao deixar o hospital, foi aplaudido por médicos e enfermeiros. Merecidamente.

bernadetealves.com
Rita Reynolds vence a guerra contra a Covid-19

A britânica Rita Reynolds, de 99 anos, que sobreviveu a Segunda Guerra Mundial está curada do coronavírus. Segundo o The Guardian, ela tinha 21 anos na época e foi surpreendida com uma bomba que caiu do lado de fora de sua casa, em Liverpool.

Rita Reynolds foi diagnosticada com coronavírus no dia 25 de março e foi internada em uma instituição do Reino Unido. Segundo o The Guardian, sua família foi instruída a “esperar pelo pior” assim que sua condição de saúde se agravou. Mas, contrariando os médicos, a idosa conseguiu milagrosamente  se recuperar, surpreendendo até mesmo seu neto.

bernadetealves.com
O britânico Jack Bowden, herói da Segunda Guerra Mundial vence a guerra do Covid-19

O britânico Jack Bowden, de 98 anos, herói da 2ª Guerra, também venceu o coronavírus. Ele foi internado em março no Royal Bolton Hospital, no Reino Unido, e os médicos disseram que não sobreviveria.

Bowden é ex-farmacêutico e ajudou na fabricação de penicilina durante a 2ª Guerra na Royal Navy Medical School, em Clevedon. Milagrosamente, no entanto, pouco mais de uma semana, os médicos informaram que ele havia se recuperado. No dia 03 de abril, Bowden teve alta e voltou para a casa de repouso onde vive.

bernadetealves.com
A enfermeira Giuseppina Nerozzi de Souza, ajudou a salvar vidas durante a Segunda Guerra

A enfermeira Giuseppina Nerozzi de Souza, de 94 anos ,salvou muitas vidas durante a 2ª Guerra Mundial. A italiana nasceu em Pistoia, na região de Toscana, era voluntária da Cruz Vermelha e atendeu soldados na Alemanha, Áustria  e Hungria. Giuseppina conheceu um soldado brasileiro com quem se casou e veio para o Brasil em 1950.

Apesar de se enquadrar no grupo de risco, por conta da idade, a senhora Giuseppina demonstrou muita coragem e resiliência na luta contra o coronavírus. Ela estava internada no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, no Rio de Janeiro.

Giuseppina provocou muita emoção e despertou a admiração da equipe médica que cuidou dela devido à sua história de vida. A sua dedicação ao tratar dos feridos na guerra foi retribuída pelos profissionais de saúde do hospital do Rio, que fizeram o seu melhor para que ela pudesse voltar bem para casa.

Precisamos pensar não apenas em nós mesmos, mas também nas pessoas que estão ao nosso redor e nos profissionais que deixam suas famílias todos os dias pela missão de tratar dos necessitados.

Para que histórias como a de Ermando Armelindo Piveta, William Bill Lapschies, Albert Chambers, Rita Reynolds, Jack Bowden, Giuseppina Nerozzi de Souza tornem-se mais comuns, todos precisamos fazer a nossa parte. Vamos Ficar em Casa!