Malala, a ativista pela educação, se forma em Oxford

bernadetealves.com
Malala Yousafzai comemora formatura em Oxford com a sueca Greta Thunberg, ativista ambiental

Malala Yousafzai, 22 anos, a paquistanesa que ficou conhecida por defender o direito de meninas terem acesso à educação, concluiu a faculdade de Filosofia, Política e Economia em Oxford, Reino Unido. O anúncio foi feito por ela em seu perfil do Twitter.

“É difícil expressar minha gratidão agora que eu consegui meu diploma de filosofia, política e economia em Oxford. Não sei o que virá adiante.Por agora, será Netflix, ler e dormir”, disse. Até mesmo uma vencedora de Prêmio Nobel precisa descansar no fim da faculdade, não é mesmo.

Malala sofreu um ataque no dia 09 de outubro de 2012, quando morava no Vale do Swat, uma região no norte do Paquistão. Ela voltava para casa depois de um dia letivo e, de dentro de um ônibus escolar, foi alvo de um ataque a tiros. Malala foi atingida na cabeça, quase perdeu a visão do olho esquerdo e os médicos conseguiram salvá-la. O atentado aconteceu porque Malala defendia publicamente, em um blog, o direito à educação para meninas em seu país – algo proibido pelos talibãs.

bernadetealves.com
Malala Yousafzai se recuperando do atentado em 2012 no Paquistão

O Talibã afirmou que ela representava valores do Ocidente e que ainda tentaria matá-la. Malala e a família se refugiaram na Inglaterra. A história trágica teve um final feliz. A menina se curou e sua voz ficou ainda mais forte.

Em outubro de 2014, o comitê do Nobel anunciou a entrega do prêmio da Paz à Malala “pela sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação”. Aos 17 anos a paquistanesa se tornou a pessoa mais jovem até então a ser laureada com prêmio. “É difícil explicar minha alegria e gratidão agora”, escreveu a ativista.

bernadetealves.com
Malala Yousafzai comemora formatura em Oxford com os pais e irmãos com a mensagem do bolo “Feliz Formatura Malala”

Em 2017 Malala foi aprovada para estudar na Universidade de Oxford. Malala se tornou um ícone pela defesa da educação para meninas em todo o mundo. Ela tem uma fundação em seu nome justamente onde atua para que “todas as garotas possam aprender e liderar sem medo”.

bernadetealves.com
A ativista Malala Yousafzai defendendo o direito de meninas terem acesso à educação

Malala é uma voz forte na luta em defesa de um mundo em que mulheres e homens tenham os mesmos direitos. Em julho de 2018 quando ela veio ao Brasil mostrou sua liderança e conhecimento em diversos assuntos.

Sobre Educação declarou: “Digo que a melhor maneira de me ‘vingar’ é pela educação. Educar todas as crianças do mundo, inclusive filhos e filhas dos que me atacaram. E de alguma maneira estamos conseguindo isso”.

Empoderamento feminino: “Quando aqueles extremistas me impediram de ir estudar, percebi que a educação era mais do que ler e aprender. Era sobre emancipação e empoderamento das mulheres”, declarou Malala.

bernadetealves.com
Malala Yousafzai em julho de 2018 quando esteve no Brasil

Direitos: “Sei que às vezes existe raiva ou falta de esperança, mas a sua luta, o seu ativismo, tem o poder de fazer mudanças. Vocês não devem esperar que alguém fale por vocês. Vocês sempre têm de erguer suas vozes”.

Eleições: “Lembrem os políticos de que o poder está nas mãos de vocês e é o voto”.