Fiocruz pede que a população fique em casa para preservar a vida

bernadetealves.com
Covid-19: Fiocruz amplia capacidade nacional de testagem

O Brasil encerrou o março como o pior mês da pandemia, com recorde de mortes desde o ano passado em dois terços do país. Foram 66.868 óbitos só em março. E ainda: na quarta-feira,dia 31 foram 3.950 mortes em 24 horas, o pior número até então. O nosso país já perdeu mais de 320 mil vidas para a Covid-19.

A situação está grave e infelizmente muita gente ainda insiste em se aglomerar. Esquecem que o direito à vida é maior que o direito de ir e vir. Não há nada mais precioso que a VIDA.

bernadetealves.com
Castelo Sede da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro

Dada a gravidade da situação e com o objetivo de orientar a população de como se proteger, a Fundação Oswaldo Cruz lançou na quarta-feira, 31 de março, uma Cartilha com uma série de dicas para as famílias preservarem mais a vida. A Fiocruz destaca medidas que devem ser adotadas pelas famílias para diminuir o potencial de contaminação e os protocolos sanitários padrão de combate ao coronavírus.


A cartilha de cinco páginas se divide em três tópicos principais de orientações: ambiente e convidados, preparo e forma de servir alimentos, grupos que devem evitar os encontros. Dentre as dicas:

  • Usar máscara sempre que não estiver bebendo ou comendo
  • Ter uma máscara reserva, limpa e seca para o caso de sujar e precisar trocar
  • Evitar aglomerações e manter a distância de, pelo menos, dois metros
  • Dar preferência a locais abertos ou bem ventilados
  • Ter frasco de álcool em gel 70%
  • Evitar o uso de ar-condicionado
  • Lavar as mãos com frequência
  • Não compartilhar objetos, como talheres ou copos.

A orientação da Fiocruz é que a população fique em casa,apenas com as pessoas que já convivemjuntas. E lembra: “nenhuma medida é capaz de impedir totalmente a transmissão da Covid-19”.


A luta da Fiocruz para que as pessoas sigam as orientações da Ciência vem desde o dia 16 de março, quando alertou que o “Brasil passa por ‘maior colapso sanitário e hospitalar da história”.

Viva a Ciência. Viva a Vida.


Fotos: Divulgação Fiocruz