Sebastião Gomes da Silva, fundador da pastelaria Viçosa, morre aos 92 anos

bernadetealves.com
Sebastião Gomes da Silva, fundador da Pastelaria Viçosa

É com pesar que registramos o falecimento do empresário pioneiro,Sebastião Gomes da Silva, conhecido como ‘Tião Padeiro’, aos 92 anos, na manhã do dia 15. A notícia foi dada pela família em suas redes sociais. Segundo a nota o empreendedor tinha diabetes e fazia hemodiálise e não resistiu as complicações das doenças.


“É com pesar que comunicamos o falecimento do Tião Padeiro, um homem visionário e empreendedor, o fundador da Pastelaria Viçosa. Somos gratos pelos 92 anos de vida que o Senhor concedeu a ele. Gratos pelo tempo de convivência com a família e os amigos”, diz parte do texto publicado pela empresa.


A advogada Patrícia Rosa Calmon, filha de Tião e atual gestora da Pastelaria Viçosa, afirma que, apesar da dor da perda, a família está grata por tudo que aprendeu com o empresário. “Meu pai foi uma pessoa muito importante na nossa vida. Desde o começo de Brasília, ele teve garra e perseverança. O positivismo e a fé dele foram passados para nós e eu me orgulho disso”.

  • bernadetealves.com
  • bernadetealves.com

Brasília se despede do desbravador da capital: Sebastião Gomes da Silva, o “Tião Padeiro”. Um empreendedor que acreditou no sonho de JK e com coragem iniciou sua vitoriosa caminhada. É mais um ilustre pioneiro que ajudou a consolidar a Brasília de todos os brasileiros. Nossa solidariedade à família, principalmente a querida colega advogada Patrícia Rosa Calmon.


O fundador da pastelaria mais famosa de Brasília nasceu em Barra Longa (MG). Depois de perceber que não queria seguir a vida de agricultor, Sebastião abriu um bar e restaurante em Belo Horizonte. Tentou carreira de ator no Rio de Janeiro, mas foi em Brasília, aos 28 anos de idade, que em 1957, Sebastião e a esposa Ivanildes se mudaram para Brasília.


No inicio vendia pão com manteiga para os trabalhadores da construção de Brasília. Depois, abriu sua primeira padaria, em Sobradinho. Mas foi quando comeu um pastel vendido por Eugênio Apolônio, o futuro sócio na Viçosa, que a pastelaria começou a ganhar forma.

A primeira pastelaria, na Rodoviária do Plano Piloto, foi inaugurada em 1960 e tinha 2,5 m². O empreendimento cresceu, virou ponto turístico e local onde até presidentes da República como Juscelino Kubitschek, Dilma Rousseff, Michel Temer e Jair Bolsonaro, saborearam o famoso pastel com caldo de cana.


Tião ainda abriu outros empreendimentos, começou a cultivar a própria cana, e passou a vender pastéis para outros negócios. De acordo com a Pastelaria, são mais de mil revendedores fora do Distrito Federal.

bernadetealves.com
Sebastião Gomes da Silva, fundador da Pastelaria Viçosa, o “Tião Padeiro”,morre aos 92 anos


Em um vídeo gravado para uma campanha da Pastelaria Viçosa, ele diz que Brasília mostrou ao mundo o poder do país. “Eu vi tanta coisa. Qualquer coisa que você me perguntar de Brasília eu vi. Entreguei pão em todas as obras. Hoje Brasília mostra ao mundo que tem um país na América do Sul que tem poder e que terá ainda mais”, diz Tião Padeiro.

“Eu me sinto orgulhoso, cheio de vaidade de ter ajudado a fazer Brasília. Eu dei à cidade o que eu pude, onde eu passei, eu ajudei. Faria tudo de novo. Hoje eu tenho uma esperança só: fazer o mundo melhor, todo dia”, conclui Sebastião Gomes.

No Documentário “BSB60 – Brasília e Seus Pioneiros”, longa que reúne depoimentos de grandes empresários e personalidades pioneiras que ajudaram a erguer e moldar a capital federal, está Sebastião Gomes da Silva conhecido como “Tião Padeiro”. “Brasília uniu o Brasil”, declara o fundador da Pastelaria Viçosa.


Fotos: Reprodução Redes Sociais