Movimento tradicionalista está de luto

Tradicionalista gaúcho Paixão Côrtes
Tradicionalista gaúcho Paixão Côrtes

É com pesar que registro o falecimento de Paixão Côrtes, ocorrido hoje à tarde em Porto Alegre. Um dos maiores nomes do folclore do brasileiro, de 91 anos, estava internado no Hospital Ernesto Dornelles, se recuperando de complicações em cirurgia ortopédica na perna. João Carlos D’Ávila Paixão Côrtes nasceu em Santana do Livramento e era formado em Agronomia. O compositor, folclorista, radialista e pesquisador gaúcho deixa milhares de fãs, de várias gerações.

O seu Paixão era um dos mais renomados folcloristas do Rio Grande do Sul e personagem importante para a história do Movimento Tradicionalista Gaúcho. O governo do Rio Grande do Sul decretou luto oficial de três dias. O velório será realizado no Palácio Piratini, em Porto Alegre. O “Tropeiro da Tradição” agora segue “a despacito”, no ritmo do seu tempo, a trançar outros tentos.

Ana Paixão, filha do tradicionalista, diz que ele deixa um rico e extenso acervo documental de pesquisas. O filho Carlos Paixão diz que com suas pesquisas, Paixão ajudou a documentar os costumes e a arte do homem do campo, mas também reuniu documentos sobre o desenvolvimento da música urbana em Porto Alegre. Seu resgate histórico sobre a gravadora Casa Elétrica, por exemplo, foi fundamental para pesquisadores de todo o país entenderem como se deu a história do disco no país e na América do Sul.

O compositor Paixão
O compositor Paixão Côrtes

Nas décadas de 1950 e 1960, Paixão Côrtes se apresentou na Europa, em locais como o Teatro Olympia de Paris, o palco da Universidade de Sorbonne, também na capital francesa, e na Feira Mundial de Transportes e Comunicação, em Munique, na Alemanha. Em 1964, foi premiado como o Melhor Cantor Masculino de Folclore do Brasil.

Junto com Barbosa Lessa, Paixão Côrtes resgatou as tradicionais gaúchas Chimarrita-balão, Balaio, Maçanico e Quero-Mana, Tirana do Lenço, Rilo, Xote Sete Voltas, Xote Inglês, Xote Carreirinha, Vaneira Marcada, Tatu e Pezinho, que foram gravadas por Inezita Barroso.

Paixão Côrtes
Paixão Côrtes no Galpão Crioulo

Paixão Côrtes foi um dos idealizadores do movimento tradicionalista no Rio Grande do Sul, juntamente com Luiz Carlos Barbosa Lessa e Glauco Saraiva. Em 1948, ele organizou e fundou o Centro de Tradições Gaúchas (CTG) 35 e, em 1953, fundou o pioneiro Conjunto Folclórico Tropeiros da Tradição.

Paixão Côrtes é presente, passado e futuro. Ele sintetiza o saber popular dos gaúchos e soube expressar a cultura do povo.