Solstício de Verão 2018 – a peculiar estação em Brasília

Verão 2018 em Brasília
Lago Paranoá, em Brasília

Este é um evento natural e ao mesmo tempo peculiar que influi em nossa vida, além do seu sentido místico e espiritual em várias culturas. Quando ocorre o solstício o dia fica mais longo, pois a inclinação em relação à Terra faz com que o Sol demore mais tempo para se pôr. Nos polos, no dia do Solstício ocorre 24 de horas de Sol ininterruptas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aqui em Brasília o verão começou com elevação de temperatura e mudança rápida nas condições do tempo. Ora chuva, ora calor intenso. No Plano Piloto, os termômetros chegaram a 31,8 graus, e nas regiões administrativas 33 graus, muito acima da média máxima de dezembro que, segundo o Inmet, é de 26,3 graus. A previsão, segundo o meteorologista Mamedes Luiz Melo, a tendência é diminuir pois a partir deste domingo a chuva volta a cair na capital do país.

“Mas a tendência é que o verão no DF volte a ter temperaturas um pouco mais baixas e chuva”, informa Mamedes. Brasília consegue atravessar todas as estações do ano em um só dia. O dia pode amanhecer frio, mas logo depois faz muito calor. A gente pode ser surpreendida por uma chuva no início da tarde e depois enfrentar altas temperaturas. O clima da capital federal é peculiar.

Apesar dessas questões, dias ensolarados irradiam mais energia, nos lembrando que o Sol nasce para todos, nos injetando força e ânimo para continuar a perseverar em nosso entusiasmo. Afinal, mesmo com todos os movimentos de nossa Vida, o Sol não deixa de voltar a brilhar !

Este slideshow necessita de JavaScript.

De acordo com o Inmet a variação do clima em Brasília é resultado da sua localização geográfica. A capital federal é situada no Planalto Central, a 1.100 metros acima do nível do mar. A região faz parte do bioma Cerrado, que é marcado pelo clima tropical. Essa classificação explica por que o verão em Brasília é chuvoso e o inverno é seco.

Nessa estação, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a chuva é frequente em praticamente todo o país, com exceção do extremo sul do Rio Grande do Sul, nordeste de Roraima e leste do Nordeste. O período, segundo o Inmet, se caracteriza pelos dias mais longos que as noites, além de chuva forte, queda de granizo, vento com intensidade variando de moderada a forte e descargas elétricas. Os maiores volumes de precipitação são esperados para o sudeste do Amazonas e o norte de Mato Grosso, entre os meses de dezembro e fevereiro.

“Devido às suas características climáticas, o verão é especialmente importante para atividades econômicas como a agropecuária, a geração de energia, por meio das hidrelétricas, e para a reposição hídrica e manutenção dos reservatórios de abastecimento de água em níveis satisfatórios”, informou o meteorologista.

Verão 2018
Pontão do Lago Sul

A previsão para o verão no Centro-Oeste indica alta probabilidade de a chuva ocorrer de normal a ligeiramente acima do normal em grande parte da região, exceto no sul de Mato Grosso do Sul, onde ela será mais próxima à média, ou ligeiramente abaixo. A temperatura prevista deve ficar acima da média, especialmente em Mato Grosso do Sul, no norte de Mato Grosso e sul de Goiás.

Com a configuração do fenômeno El Niño durante o verão, o modelo estatístico do Inmet prevê chuva ligeiramente acima do normal no sul, centro e oeste do Rio Grande do Sul, leste de Santa Catarina e norte do Paraná. Nas demais áreas, a chuva deve variar dentro da faixa normal ou ligeiramente abaixo. A temperatura fica um pouco acima da média em praticamente toda a região; a exceção é apenas o sul do Rio Grande do Sul, onde  pode ficar dentro da normalidade.

Verão 2018 Rio de Janeiro
Verão 2018 no Rio de Janeiro

A previsão nos próximos três meses para a Região Sudeste é de chuva variando de normal a ligeiramente acima do normal em grande parte de Minas Gerais, no centro-norte do Espírito Santo e no centro de São Paulo. No Rio de Janeiro, a chuva deve ficar ligeiramente abaixo do normal.

“Porém, vale destacar que a ocorrência de tempestade (chuva e ventos fortes que podem ser acompanhadas de granizo) é normal durante o verão na Região Sudeste e não está descartada”, alertou o instituto.

Para o verão, os modelos climáticos indicam que a Região Norte deve apresentar forte variabilidade espacial na distribuição de chuva. Ela deve ficar acima da média no Tocantins, grande parte do Amapá e de Roraima, além do oeste e sul do Pará e sul do Acre e Rondônia. No Amazonas, a chuva fica ligeiramente abaixo do normal, com exceção apenas do leste do estado.

“É importante destacar que, com o fenômeno El Niño confirmado no verão, sua atuação ficará mais concentrada na parte norte, com tendência de redução da chuva e elevação da temperatura em relação à média”, destacou o Inmet.

A previsão do modelo estatístico do Inmet para o verão na Região Nordeste indica predomínio de áreas com maior probabilidade de chuva acima da média na Bahia, do litoral de Alagoas até o Rio Grande do Norte e no sul do Piauí e do Maranhão. Nas demais áreas, a chuva deve ficar próxima à média ou ligeiramente abaixo durante a estação. A temperatura estará mais elevada no Maranhão, centro e sul do Piauí, sul do Ceará e no oeste de Pernambuco.

O Solstício de Verão de 2018/2019 começou no dia 21 de dezembro às 20h22 e findará no dia 20 de março de 2019, às 18h57. O fim do verão é marcado pelo um fenômeno astronômico chamado Equinócio, período quando o Sol incide com maior intensidade nas regiões próximas à linha do Equador.