Morre Nair Lobo, ex-deputada federal de Goiás

bernadetealves.com
Nair Lobo, ex-deputada federal de Goiás, morre aos aos 64 anos

A advogada Nair Maria Xavier Lobo, ex-deputada federal faleceu aos  64 anos ,na noite do dia 9/6 em sua residência, no Alphaville, Distrito Federal, em decorrência de um câncer na tireoide. A ex parlamentar do estado de Goiás estava recebendo tratamento para a doença, mas o câncer desenvolveu uma metástase, que culminou com a sua morte.

Nair Maria Xavier Lobo se dividia entre Brasília e Goiânia. Foi parlamentar pelo então PMDB de Goiás em duas legislaturas. Divorciada, ela deixa quatro filhos e cinco netos. Nossos sentimentos e solidariedade aos familiares e amigos.

O velório está sendo realizado nesta quarta-feira (10), no Cemitério Jardim das Palmeiras, no Setor Fama, em Goiânia. O sepultamento está marcado para às 15 horas, no mesmo local.

Nair Maria Xavier Nunes de Oliveira Lobo nasceu em Anápolis (GO), no dia 25 de março de 1956, filha de Rivadávia Xavier Nunes e de Marina de Carvalho Brito Xavier Nunes. Era formada em Ciências Jurídicas pela Universidade Federal de Goiás (UFG), em 1981, especializada em direito administrativo e constitucional, foi nomeada consultora jurídica da Assembleia Legislativa de Goiás, em 1987.

Três anos depois iniciou atividades político-partidárias, ingressando no Partido de Reconstrução Nacional (PRN). Foi presidente do PRN-Mulher Goiás  e superintendente estadual da Legião Brasileira de Assistência.  Em 1993 trocou o PRN pelo PMDB e assumiu a presidência do Conselho do Bem-Estar Social de Goiás.

bernadetealves.com
Nair Lobo, ex-deputada federal de Goiás, morre aos aos 64 anos

Em outubro de 1994,  Nair Lobo concorreu à Câmara dos Deputados, na legenda do PMDB, obtendo uma suplência. Assumiu o mandato em 27 de abril de 1995 no lugar de Josias Gonzaga. Foi titular da Comissão de Economia, Indústria e Comércio, bem como da Comissão Especial de Débitos nas Operações de Crédito Rural, votou a favor da extinção do monopólio estatal nos setores de telecomunicações, exploração de petróleo, distribuição de gás canalizado navegação de cabotagem. Também apoiou a mudança do conceito de empresa nacional e a criação do Fundo Social de Emergência (FSE) .

Em junho de 1996 votou a favor da criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que substituiu o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), fonte suplementar de recursos destinados à saúde.

Em janeiro/fevereiro de 1997, defendeu  a reeleição de presidente da República, governadores e prefeitos e, em novembro, pela quebra da estabilidade do servidor público, item da reforma administrativa.

No pleito de outubro de 1998 reelegeu-se na legenda do PMDB. Em novembro votou a favor do teto de R$ 1,2 mil para aposentadorias no setor público. Foi favorável também aos critérios de idade mínima e tempo de contribuição para os trabalhadores no setor privado, itens que definiram a reforma da previdência.

Um dos principais projetos da deputada federal  Nair Lobo foi a aprovação de lei que estende a estabilidade no emprego a quem obtiver a guarda do recém-nascido, quando a mãe biológica morrer nos meses seguintes ao parto. A estabilidade no emprego é um direito garantido pela Constituição Federal às mães por cinco meses após o parto.

A deputada Nair Lobo, em 7 de abril de 1999, defendeu que o plenário da Câmara dos Deputados, deveria cassar o mandato do deputado Talvane Albuquerque, por ter sido denunciado como mandante de uma chacina que tirou a vida da deputada federal Ceci Cunha (PSDB-AL), o esposo e mais dois familiares de Ceci. Talvane era suplente de Ceci. Talvane foi cassado em votação secreta em 7 de abril de 1999 com 427 votos. (Informações da Câmara dos Deputados).