Amamentação: um ato de amor que salva vidas

bernadetealves.com

A Organização Mundial de Saúde, afirma que  a amamentação é a principal forma de fornecer ao bebê os nutrientes necessários para sua sobrevivência e seu desenvolvimento. Nos primeiros seis meses de vida, deve ocorrer o aleitamento materno exclusivo, sem a complementação com nenhum alimento.

Todas as mulheres apresentam leite capaz de nutrir e proteger sua criança, portanto, não é necessário adicionar nenhum produto à alimentação no início da vida de um bebê. Vale destacar ainda que o leite da mãe já está na temperatura ideal para a criança, não necessita de esterilização e pode ser usado sem medo.

Após o período de seis meses, outras substâncias podem ser oferecidas à criança. Vale salientar que vários estudos sugerem que crianças devem ser alimentadas com leite até, pelo menos, os dois ou três anos de idade.

bernadetealves.com
Amamentação: um ato de amor que salva vidas

No leite materno, a criança encontra não só as substâncias necessárias para a sua nutrição, mas também anticorpos fundamentais para protegê-la no início da vida. Estudos comprovam que a mortalidade por doenças infecciosas é menor em crianças que são amamentadas. O leite materno também garante proteção contra infecções respiratórias, evita casos de diarreia e o seu agravamento, além de diminuir os riscos de alergia.

Dada a sua importância foi criado o Dia Mundial da Amamentação, em 1992 pela Aliança Mundial de Ação pró-amamentação (World Alliance for Breastfeeding Action – WABA) com a finalidade de promover o aleitamento materno e a criação de bancos de leite. A data é celebrada neste 1º de Agosto.

bernadetealves.com
Congresso Nacional se ilumina de Dourado em homenagem ao Dia Mundial da Amamentação e ao Mês do Aleitamento Materno

A partir desse sábado o Congresso Nacional é iluminado de dourado para comemorar o Dia Mundial da Amamentação. A iluminação permanecerá até 31 de agosto, Mês do Aleitamento Materno. A iniciativa é da deputada federal Dulce Miranda (MDB-TO).

A diretora do Departamento de Pediatria Ambulatorial da Sociedade de Pediatria do Distrito Federal, Andréa Jácomo, diz que a escolha da cor dourada para a campanha se deu pelo fato de o leite materno ser considerado padrão ouro em termos de alimentação infantil.

O leite materno é tão importante, afirma a médica, que, mesmo em tempos de contaminação por Covid-19, a amamentação pode ter continuidade. “Os estudos recomendam a manutenção da amamentação porque o benefício supera o risco. É claro que a gente tem que respeitar a condição de saúde da mulher. Se ela está muito debilitada, não vai conseguir amamentar. Mas se a condição de saúde dela permitir a recomendação é que amamente, use máscara e reforce a higiene das mãos naquele período de transmissão, que são os 14 dias”, diz a pediatra.

bernadetealves.com
Amamentação: um ato de amor que salva vidas

Não é só o bebê que tem benefícios com o leite materno.Para a mulher, o aleitamento também traz benefícios, merecendo destaque a proteção contra o câncer de mama e de ovários, bem como a diminuição dos riscos de morte por artrite reumatoide.Nos primeiros seis meses, o ato de amamentar pode garantir uma proteção contra uma nova gestação. Estudos indicam que a ovulação está relacionada com o número de mamadas diárias do bebê, sendo assim, ela ocorre mais antecipadamente em mulheres que amamentam menos vezes. Podemos destacar ainda que a amamentação cria um maior vínculo afetivo entre a mãe e o bebê.

Para aquelas mulheres que por algum motivo não podem amamentar, o leite materno pode ser conseguido nos chamados Bancos de Leite Humano. Esses bancos são mantidos graças às mulheres na fase de amamentação que apresentam excesso de leite e realizam a doação, garantindo, assim, qualidade de vida para outras crianças.

Diante de tantos benefícios, não é difícil entender como a amamentação é fundamental para a saúde da criança. Sendo assim, iniciativas como a Semana Mundial de Aleitamento Materno e o Dia Mundial da Amamentação são essenciais para garantir a conscientização da sociedade sobre essa questão. Além disso, é importante investir em campanhas que desmistifiquem conceitos arraigados como o do “leite fraco” e de que o “leite materno não acaba com a sede da criança”, ensinando, assim, como realizar a amamentação da maneira adequada.

bernadetealves.com
Mamãe recebendo ajuda profissional para amamentar seu bebezinho

Cuidados durante amamentação

Uma das maiores preocupações da futura mamãe é como cuidar dos seios e deixá-los prontos para amamentar o filho. É que durante a gravidez os mamilos da maioria das mulheres ficam maiores e mais sensíveis. E quando o recém-nascido começa a mamar, cria pressão e sucção causando desconforto.

A ginecologista e obstetra Ana Luiza Rios diz que para diminuir o estresse na hora de alimentar o bebê, é fundamental que toda grávida prepare bem o peito para esse momento. Uma das recomendações dos ginecologistas é colocar os seios para tomar sol por 10 minutos nos horários ideais como das 8 às 10h e depois das 16h.

“Quando o bebê for abocanhar a mama, dirija o mamilo para o céu da boca dele. Isto irá ajudá-lo a agarrar o mamilo, bem como parte da aréola, o círculo de pele mais escura em redor do mamilo. Isso alivia a pressão. Para ele parar de mamar, desloque a mama para o lado para desencaixar os lábios do pequeno. Você pode fazer um pouco de cócegas no pezinho e ele, assim, soltará o peito”, diz a especialista.

Depois da mamada, a recomendação é usar o próprio leite como hidratante, espalhando-o sobre o mamilo. “Lembre-se de não deixar a mamada ultrapassar 40 minutos em cada peito. E não deixe seu bebê usar o seio como uma chupeta, pois o mamilo fica úmido por tempo demais”, diz a ginecologista.

  • Lavar o peito apenas com água durante o banho  e deixar os mamilos secarem naturalmente ou limpar suavemente com uma toalha
  • Não é necessário lavar a mama ou os mamilos antes de amamentar. As bactérias da superfície da  mama podem ajudar a desenvolver o microbioma intestinal da criança.
  • Mudar os protetores de seios com frequência se ficarem úmidos, reduz o risco de infecções nos mamilos.
  • O bebê  necessita mamar por livre demanda para se manter saudável e crescer bem. Lembre-se que a amamentação frequente desenvolve e mantém a sua produção de leite, por isso continue a amamentar, mesmo com algum desconforto.
  • Para o leite não empedrar, hidratar corretamente o bico do peito e ensinar o bebê a mamar corretamente.
  • O leite humano fresco pode ajudar a sarar os mamilos doloridos. Massageá-los com algumas gotas antes e depois de amamentar elimina o problema. Se a dor nos mamilos persistir ou se notar sintomas fora do comum, procure um especialista.

O peito é abrigo, é alimento, é remédio e é amor. Amamente seu filho até quando puder e ele quiser.