Ibaneis abre Mês da Mulher com investimentos na saúde, segurança e bem-estar

bernadetealves.com
Governador Ibaneis Rocha abre Mês da Mulher com investimentos na saúde, segurança e bem-estar

Com o objetivo de acolher, proteger e celebrar a vida das mulheres do Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha, deu inicio na manhã desta segunda-feira, as comemorações do Mês da Mulher com solenidade no Salão Branco do Palácio do Buriti.

Ao lado da primeira-dama Mayara Noronha Rocha, do vice-governador Paco Britto e sua esposa Ana Paula Hoff, da ministra da Mulher, Damares Alves, da Secretária Nacional da Mulher, Cristiane Britto, da secretária da Mulher Ericka Filippelli, dentre outras importantes autoridades, anunciou a construção da Clínica da Mulher, na 514 Sul, e quatro unidades da Casa da Mulher Brasileira, em São Sebastião, Sobradinho II, Sol Nascente e Recanto das Emas.

bernadetealves.com

O governador também anunciou a criação do Observatório da Mulher do Distrito Federal com o objetivo de mapear agressões e oferecer melhor tratamento a quem sofre.Ao longo deste mês  de março o GDF colocará em marcha um pacote de ações para a valorização e proteção da mulher.

Segundo Ibaneis Rocha, os espaços vão permitir a assistência integral às mulheres da capital. “A nossa função enquanto governantes é dar condições para elas. A união de todas as secretarias tem mostrado para a população que o lugar da mulher é onde ela quiser estar e nós daremos a assistência necessária para isso”, garantiu Ibaneis Rocha.

O Chefe do Executivo local anunciou a construção de policlínicas voltadas para as mulheres em cada região administrativa. A previsão para este ano é a inauguração de mais uma Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), em Ceilândia.

bernadetealves.com
Governador Ibaneis Rocha e a ministra Damares Alves

Com relação à violência o governador disse que a liberação de suspeitos que agrediram mulheres é um dos motivos de a violência continuar.“No ano passado nós fizemos um programa para proteger as nossas mulheres: adquirimos as tornozeleiras e compramos os botões do pânico. Para que o Tribunal de Justiça, todas as vezes que houvesse um crime de agressão, colocasse esses meliantes com as tornozeleiras para que nós pudéssemos acompanhar. Infelizmente, o Tribunal de Justiça não tem correspondido”, afirmou Ibaneis.

Segundo o chefe do Executivo local, o GDF adquiriu centenas de tornozeleiras eletrônicas. No entanto, a falta de sintonia com o TJDFT impede que os itens estejam nas ruas para proteger as mulheres.

O governador pediu à ministra Damares ajuda nesta questão. O emedebista solicitou apoio para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acolha a sugestão de projeto de lei proposta pelo GDF para deixar as penas mais pesadas nos crimes precursores do feminicídio.

A advogada Mayara Noronha Rocha, primeira-dama do DF, ressaltou que o mês de março é uma época para dar mais destaque para as mulheres. “A mulher é o pilar de um lar. É por meio dela que a família é mantida e ao mesmo tempo ela tem o desafio de sair todos os dias para se inserir no mercado de trabalho e trazer dignidade para dentro de casa”, disse a primeira-dama do DF.

A Ministra da Mulher, da Família, e dos Direitos Humanos, Damares Alves, disse que infelizmente o Brasil é o quinto país que mais mata mulher no mundo e que não há muito que comemorar.

bernadetealves.com
Ministra da Mulher Damares Alves

Segundo a ministra, o governo federal prepara ações para reverter esse quadro. “Nenhuma mulher vai ficar para trás”, prometeu. De acordo com ela, os dados da violência contra a mulher idosa são assustadores. “A violência contra idosas é a terceira maior do Brasil”, informou Damares Alves. “A gente quer erradicar a violência contra mulher aqui”, afirmou. “É de assustar”, disse a ministra.

A ministra agradeceu ao governo local pela troca de experiência com projetos entre os dois poderes. “Queremos juntos erradicar a violência contra a mulher. No DF estamos colocando em prática as ações, como a Casa da Mulher Brasileira. Depois que elas estiverem funcionando vamos levar essa experiência para todo Brasil”, disse Damares Alves.

A secretária da Mulher, Ericka Filippelli, informou que a construção das Casas da Mulher Brasileira será feita este ano pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). O investimento será entre R$ 900 mil a R$ 1,5 milhão cada unidade. “Os projetos e os terrenos já foram definidos e a verba já existe. As Casas terão um tamanho diferenciado da que já existe no Plano Piloto. Elas serão menores. O início da construção das quatro unidades está  prevista para este ano. A verba total destinada será de R$ 5,4 milhões”.

bernadetealves.com
Ericka Filippelli, secretária da Mulher

Ericka Filippelli, disse que a clínica especializada para mulheres  é uma parceria com a Secretaria de Saúde e será adaptada em um prédio que já existe”, comenta a secretária. A clínica será inaugurada até o fim deste mês. “Ela vai funcionar em um prédio que já existe, onde está a policlínica. Nós vamos mudar o serviço e trazer um atendimento especializado para dentro dessa unidade. Estamos com os projetos todos prontos para ter início nessa semana”, acrescentou a secretária.

Durante o evento, também foi assinado o decreto de criação do Observatório da Mulher do DF. Ericka Filippelli adianta que será um portal com informações relacionadas não só ao enfrentamento da violência contra a mulher, mas também sobre a saúde, educação, trabalho e assistência social. “A partir do Observatório conseguimos ter uma visão mais integrada da realidade da mulher no DF. É uma porta de entrada para políticas públicas, por exemplo”, disse.

A agenda para a mês da mulher será marcada por palestras e capacitações. De acordo com o governador, o objetivo é acolher, celebrar e trazer segurança para o público feminino do Distrito Federal. “Para cuidar das mulheres não vai faltar dinheiro, pode ter certeza disso”, afirmou.

Em 8 de março está marcada a Caminhada pela mobilização em comemoração ao Dia da Mulher. O evento será promovido pela 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo) em parceria com a Administração Regional da cidade, e toda a rede de atendimento à mulher do Riacho Fundo I e II.