Chuva de meteoros iluminam céus de Brasília e do Brasil

bernadetealves.com

A madrugada de ontem foi especial para quem curte eventos astronômicos. Uma chuva de estrelas cadentes trouxe esperança em tempos de tanto sofrimento. O espetáculo vai continuar por alguns dias e pode ser visto com mais clareza porque a Luz está em quarto minguante. Uma visão imperdível.

O pico da chuva de meteoros Delta Aquáridas, visível do Hemisfério Sul, ocorreu na madrugada de terça (28) e quarta-feira (29). Até o amanhecer, os brasilienses tiveram a chance de ver, a olho nu,cerca de 25 meteoros por hora. Além disso, uma chuva de meteoros menos intensa, a Alfa Capricornídeos, atingiu seu auge perto do amanhecer.

A constelação de Aquário, onde está localizado o radiante da chuva, começou a ficar visível no horizonte a partir das 22 horas, na direção leste onde o Sol nasce.  A partir das 3h30 a constelação ficou no meio do céu. Os meteoros ficaram visíveis até o amanhecer.

Segundo os institutos de meteorologia, no Centro-Oeste, Sudeste e parte do Nordeste, a atividade foi mais intensa. O evento astronômico continua  visível a olho nu, na madrugada desta quarta e de quinta-feira (30), o espetáculo também acontece, com menor intensidade. A semana está cheia de corpos celestes.

Chuva de meteoros é um evento em que um grupo de meteoros é observado irradiando de um único ponto no céu. São as populares estrelas cadentes, isto é, pequenos pedaços de rochas e poeira espacial que queimam ao entrar na atmosfera da Terra em alta velocidade. Em geral são inofensivos e se desintegram bem antes de atingir o solo.

A chuva Delta Aquáridas do Sul é composta por resquícios do cometa 96P/Machholz, descoberto em 1986. Ela acontece uma vez por ano, todos os anos, entre julho e agosto. É quando a Terra, em seu movimento de translação em torno do Sol, cruza a órbita do cometa, onde flutua uma trilha de destroços e poeira.

A chuva de meteoros Alfa Capricornídeos também está no auge de sua atividade. Ela acontece anualmente entre julho e setembro e, em 2020, seu pico coincidiu com o da Delta Aquáridas. Mas, ela é bem menos ativa, produzindo cerca de cinco meteoros por hora, com uma velocidade de 25 km/s.

bernadetealves.com
Chuva de estrelas cadentes iluminam céus de Brasília

Apesar de mais difícil de observar, a Alfa Capricornídeos é um espetáculo diferente: os meteoros aparecem como bolas de fogo brilhantes, que deixa clarões em vez de rastros no céu. Como o nome diz, seu radiante fica na constelação de Capricórnio.

Já a Alfa Capricornídeos é originada na trilha do cometa 169P/NEAT. Entre os dias 12 e 13 de agosto, teremos o pico da chuva de meteoros Perseidas, na constelação de Perseu, resultado do cometa Swift-Tuttle.