Brasília completa 97 dias sem chuva e em alerta amarelo

bernadetealves.com
Esplanada dos Ministérios em tempo de estiagem

A estiagem está castigando a natureza e causando inúmeros problemas respiratórios e de pele na população. Atenção com a secura do ar: os níveis de umidade vão ficar entre 15% e 30%  para os próximos dias. Os índices previstos estão abaixo dos valores estimados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que avalia que para uma boa qualidade do ar, a umidade deve ficar em torno dos 60%.

Para sair de casa, neste domingo, é importante colocar filtro solar, levar garrafa com água, usar roupas claras e evitar caminhadas nos horários mais quentes. Cuide de sua saúde!.

bernadetealves.com
Brasília durante estiagem

Segundo o Inmet o calor estará presente, sobretudo após o meio dia quando os termômetros devem atingir 32 ºC a 33 ºC, e a umidade ficar entre 20 % e 15%. Não há previsão de chuva antes da segunda quinzena de setembro e por isso os cuidados com a saúde devem continuar.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia a média de dias sem chuva, varia de 100 a 120 dias. Em 2017 tivemos 127 dias de seca e a estiagem mais longa no Distrito Federal foi de 164 dias, em 1963.

bernadetealves.com
Cenas da estiagem: contraste do Lago Paranoá, ipê amarelo e galhos secos

A boa notícia é que os reservatórios de água do DF estão com níveis acima dos valores de referência para o período de estiagem. Mesmo assim é preciso economizar água para evitar racionamento.

bernadetealves.com
Céu de Brasília durante período de seca

Como a natureza é perfeita, os ipês amarelos reinam neste período e trazem esperança para os tempos difíceis de pandemia. O céu de Brasília é palco de espetáculo de cores ao amanhecer e ao entardecer.

bernadetealves.com
Ipê amarelo reina absoluto durante estiagem em Brasília

A previsão do Inmet para segunda-feira é de céu claro, tempo seco e estável, com poucas nuvens e temperatura elevada que pode chegar a 32 ºC.

bernadetealves.com
Seca produz espetáculo no céu de Brasília

O instituto também prevê o agravamento da seca, em setembro, quando as estações meteorológicas devem registrar as variações mais acentuadas da umidade do ar.