GDF se prepara para conter alagamentos no Plano Piloto

bernadetealves.com
Tesourinhas do Plano Piloto alagadas nos períodos de chuva

O Governo do Distrito Federal, por meio da Agência de Desenvolvimento, está trabalhando em um projeto que se chamará Águas do DF, uma nova e ampla rede de drenagem para acabar com os alagamentos e as enxurradas no Plano Piloto de Brasília, no período de chuvas.

O Águas do DF prevê a  construção de três galerias pluviais que atenderão à Asa Norte e à Asa Sul. As áreas escolhidas enfrentam problemas históricos de inundações, responsáveis por causar estragos em vias públicas, imóveis e veículos, com enormes prejuízos à população e ao poder público.

bernadetealves.com
Tesourinhas do Plano Piloto viram cascatas nas temporadas de chuvas

Segundo a Terracap  a captação de água do Plano Piloto é muito antiga, da época da construção da cidade, e não comporta mais o fluxo das chuvas há muitos anos. O investimento em obras é de R$ 100 milhões.

Izidio Santos, presidente da Terracap, diz que a construção da nova rede pluvial não será vista pela população, mas seu impacto positivo será sentido principalmente pelos moradores das quadras inferiores, que são as mais afetadas pelos alagamentos.

bernadetealves.com
GDF lança o programa Águas do DF, para conter alagamentos nas temporadas de chuva

De acordo com a Terracap  o Águas do DF não só vai acabar com o problema que se arrastava há anos como, também, ajudará  na revalorização imobiliária da região. Isso porque muitos blocos comerciais e residenciais afetados diretamente pelas inundações perderam valor de mercado.

A obra se dividirá em três etapas. A primeira vai se concentrar no início da Asa Norte. Por lá serão construídos 4,83 quilômetros de rede de drenagem entre as quadras com finais 1 e 2. O canal será capaz de receber as águas das chuvas de uma área de cerca de 9 quilômetros quadrados.

bernadetealves.com
GDF lança o programa Águas do DF, para conter alagamentos nas temporadas de chuva uma vez que Bocas de Lobos não dão conta

A  nova galeria da Asa Norte terá de 1,2 metro a 3,6 metros de diâmetro e desaguará em uma lagoa de qualidade, responsável por decantar as impurezas e levar as águas mais limpas para o Lago Paranoá. A atual – ainda do projeto de construção da Asa Norte, da década de 1970 – é quadrada e vai de 0,4 metro a 3 metros de vazão, com transposição direta ao lago, sem passar por uma bacia.

O canal começará próximo ao Estádio Nacional Mané Garrincha e descerá no sentido à via L4 Norte. Passará sob as quadras 902 (perto do Colégio Militar), 702, 302, 102, 201/202 e 402, além das vias L2 (Sul e Norte), até chegar à L4 Norte, no Setor de Embaixadas Norte. A rede atual será preservada e também mantida em atividade.

bernadetealves.com

A segunda etapa inclui a ampliação do escoamento, ainda na Asa Norte, entre as quadras 910/911 e 610/611, ainda em fase de elaboração. A terceira será construída da  911 Sul, no limite com o Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, até o Parque Ecológico da Asa Sul, na 611. Também será feita uma bacia de qualidade no local.

Fotos: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília