Anvisa suspende ranitidina: nem em remédio dá para confiar mais

bernadetealves.com

Levar uma vida muito agitada, com hábitos alimentares desajustados e sem lazer ocasiona um estresse constante e com ele vários problemas de saúde. Quem nunca  teve azia, queimação e mal-estar depois de uma refeição ? E o pior: vão até a farmácia mais perto e compram medicamentos sem indicação de médico qualificado.

Este hábito faz parte da rotina de muita gente e mantém em alta a indústria farmacêutica. Para comer e beber sem moderação e não sentir a incômoda azia, é cada vez maior o número de pessoas que usa os chamados “inibidores da bomba de prótons”, disponíveis no mercado com nomes como omeprazol, pantoprazol e lansoprazol, entre outros.

bernadetealves.comautomedicação, muitas vezes vista como uma solução para o alívio imediato de alguns sintomas, pode trazer consequências mais graves como as noticiadas nesta semana com respeito a ranitidina. Nem em remédio dá para confiar mais.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em setembro de 2019, suspendeu a importação de ranitidina fabricada por uma laboratório indiano por conta da detecção de N-nitrosodimetilamina (NDMA) na composição. Estudos comprovaram que a substância pode causar câncer.

Acontece que as farmácias continuaram vendendo os medicamentos e médicos continuaram receitando. A população, desinformada sobre os perigos continuou usando os medicamentos até agora.

bernadetealves.com

Ignorando os efeitos colaterais desagradáveis ​​da ranitidina,a indústria farmacêutica, por meio de propagandas de TV continuam a impulsionar o produto e sugerem que, de alguma forma, a pessoa se sentirá magicamente melhor tomando algumas pílulas para acabar com a azia e problemas estomacais.

Não se vê a preocupação da indústria farmacêutica em orientar a população a mudar seus hábitos alimentares para melhorar a digestão e o trato intestinal.

bernadetealves.com
Anvisa suspende venda de ranitidina por potencial cancerígeno

Universidades como a  de Hong Kong e a College London já alertaram sobre os perigos do uso prolongado dos medicamentos Omeprazol, Pantoprazol e Lansoprazol, relacionados ao aumento dos riscos de várias doenças e morte prematura. Estudo já havia mostrado que remédios inibidores da bomba de prótons aumentam em até 2,4 vezes o risco de câncer de estômago.

bernadetealves.com

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, elas são impurezas que, a longo prazo, podem aumentar o risco de câncer. A agência alertou em um comunicado que esta impureza pode ser formada em laboratório durante a sintetização de alguns produtos a base de nitritos.

No dia 14 deste mês, a Anvisa em nota  recomendou “fortemente” que as empresas reavaliem os métodos de processamento para evitar a contaminação.  A Anvisa pediu que empresas adotem medidas de precaução para a produção de medicamentos livres desta contaminação. Segundo a Anvisa, a suspensão de medicamentos contaminados com NDMA é uma medida preventiva, porque estudos em animais classificaram a molécula como um potencial agente cancerígeno.

bernadetealves.com

Na segunda-feira (20), a Medley anunciou o recall de remédios a base de cloridrato de ranitidina, que podem estar contaminados com N-nitrosodimetilamina (NDMA). A Medley, unidade de negócios de genéricos no Brasil do laboratório francês Sanofi, iniciou o recolhimento voluntário de Ranitidina 150 mg e 300 mg. A empresa recomendou que os pacientes entrem em contato com o SAC da empresa pelo telefone 0800 729 8000 de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h.

Já o Aché Laboratórios Farmacêuticos disse em nota que o recolhimento dos medicamentos Label comprimidos, Label xarope e os genéricos de cloridrato de ranitidina foi protocolado na Anvisa em dezembro do ano passado.

A empresa  Arche disse que segue as solicitações da agência e que acompanha as discussões sobre os riscos da NDMA. A farmacêutica reforçou que os pacientes com estes medicamentos devem entrar em contato com a central de atendimento no telefone 0800-701-6900 ou pelo e-mail cac@ache.com.br.

bernadetealves.com
Anvisa suspende venda de ranitidina, usada em remédios para azia e úlceras estomacais

Segundo os gastroenterologistas, a ranitidina é um bloqueador da histamina-2 e reduz a quantidade de ácido no estômago. E tem sido usado para tratar doenças como úlceras, azia e doença do refluxo gastroesfágico (DRGE).

A azia, por exemplo, que acontece quando o ácido do estômago é forçado a voltar ao esôfago, causa  soluços e uma sensação de queimação desconfortável no peito.Os médicos alertam que os efeitos colaterais da ranitidina podem ser ainda mais desconfortáveis ​​do que a condição que supostamente trata.

bernadetealves.com

Na bula os efeitos colaterais da ranitidina inclui:Dores de cabeça severas, Tonturas e sonolência, Problemas de sono como insônia, Diarréia, constipação, náusea, vômito e dor de estômago, Seios inchados ou sensíveis nos homens, dentre uma lista significativa.

A saída é voltarmos ao tempo da vovó. Melhorando os hábitos alimentares vamos evitar problemas digestivos, especialmente a sensação de estômago pesado e os gases, que podem prejudicar o nosso bem-estar. O chá de camomila pode evitar o prolongamento da agonia resultante da acidez estomacal.