Orlando Brito, ícone do fotojornalismo brasileiro, morre aos 72 anos

bernadetealves.com
Orlando Brito, ícone do fotojornalismo brasileiro, morre aos 72 anos

É com muito pesar que registro o falecimento do renomado fotógrafo de Brasília, Orlando Brito, referência do fotojornalismo no Brasil, na madrugada desta sexta-feira, dia 11 de março, aos 72 anos. Ela deixa a filha Carolina, e dois netos, Theo e Thomas.

Brito foi internado no dia 6 de fevereiro no Hospital Regional da Asa Norte devido a uma obstrução intestinal. O tumor cancerígeno foi removido e ele teve complicações decorrentes da cirurgia. Foi removido para o Hospital Regional de Taguatinga onde teve falência múltipla nos órgãos.


Orlando Brito era muito admirado e gentil. Um colega exemplar e amigo fiel. profissional extremamente qualificado que deixa muitos legados, sobretudo éticos e humanitários. Que Deus lhe conceda vida eterna e console sua família, colegas de profissão e amigos.

bernadetealves.com
Brasília perde o renomado fotógrafo Orlando Brito aos 72 anos

Brito veio para Brasília com a família na época da inauguração da capital. Aqui ele morou e trabalhou até o fim da vida. Autodidata, Orlando teve começo precoce na profissão, iniciando como laboratorista da sucursal do jornal carioca Última Hora, aos 14 anos de idade. O sucesso foi tanto que ele foi o primeiro brasileiro a receber o World Press Photo Prize concedido pelo Museu Van Gogh, na Holanda em 1979.


Nos últimos anos de vida, o fotojornalista passou a dirigir sua própria agência de notícias, a ObritoNews e ministrava cursos, workshops para grupos em empresas e aulas em universidades, faculdades e escolas de comunicação e jornalismo.


Durante a brilhante carreira,
Orlando Brito registrou presidentes, políticos e personalidades do poder, contando por meio de imagens parte da história política do Brasil, desde os anos 1960. Também produziu um acervo de fotografias de cidadãos comuns, indígenas e expoentes do mundo esportivo e cultural, além de ter viajado por mais de 60 países e acompanhado copas do mundo de futebol e jogos olímpicos.


Ao longo da sua extensa carreira, Orlando também foi laureado 11 vezes pelo Prêmio Abril de Fotografia, do qual foi considerado hors-concours da premiação, termo em francês relativo a uma pessoa que não pode mais participar de uma competição.

bernadetealves.com
Orlando Brito, ícone do fotojornalismo brasileiro e premiado internacionalmente

Ele recebeu a distinta Bolsa de Fotografia da Fundação Vitae, de São Paulo, em 1991, e prêmios de Aquisição da I Bienal de Fotografia do Museu de Arte de São Paulo (MASP) e da Bienal Internacional de Fotografia de Curitiba.


Brito registrava as nuances do poder com maestria. O primeiro presidente da República fotografado por ele foi o Marechal Castelo Branco. O último foi Jair Bolsonaro.


Brito será velado no sábado dia 12 às 9h na capela 6 e o enterro às 11h30, no Cemitério Campo da Esperança da Asa Sul.


Políticos lamentam a morte de Orlando Brito

bernadetealves.com
Morre Orlando Brito, ícone do fotojornalismo brasileiro

O governador Ibaneis Rocha disse em Nota de Pesar que “Brasília perde um filho”. “A facilidade de captar as nuances do poder com imagens fixas é arte que Orlando Brito desenvolveu como poucos. Brasília perde um filho, que aqui chegou ainda no tempo dos pioneiros e cresceu junto com a cidade. Fotojornalista premiado, conviveu intimamente com os poderosos mas manteve seu olhar crítico e atento.Lamento profundamente a morte de Orlando Brito, que além das imagens deixa uma legião de amigos e admiradores, entre os quais me incluo”.


O ex-presidente da República
Luiz Inácio Lula da Silva disse que Brito registou a história da política brasileira. “Com talento e sensibilidade, transformou imagens em notícia. É uma grande perda para o jornalismo brasileiro. Que Deus conforte a família, amigos e colegas que com ele aprenderam tanto”.


O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, definiu Brito como um “profissional com olhar único”. “Nesta sexta-feira, perdemos Orlando Brito, um dos ícones de referência do fotojornalismo brasileiro. Profissional com olhar único, registrou por décadas presidentes e personalidades da vida política do país. Externo meus sentimentos aos familiares, amigos, colegas de trabalho e admiradores do profissional”.


O presidente da Câmara dos Deputados
Arthur Lira disse que as fotos de Brito “testemunham” a história do país. “O fotojornalismo brasileiro está de luto, mas Orlando Brito será eterno nas suas fotos que testemunham a história de nosso país. Meus sentimentos à família e aos amigos”.


Fotos: Reprodução