Brasil envia material para Banco Mundial de Sementes de Svalbard, na Noruega

bernadetealves.com
Banco de Germoplasma da Embrapa, Brasília

A Embrapa, em Brasília, possui um banco genético com cerca de 130 mil amostras só de sementes, além de microrganismos e sêmen e embriões de animais, que formam o maior banco de recursos genético da América Latina e o quinto maior do mundo.

A coleção serve, prioritariamente, apenas para a conservação do material dos bancos ativos de outras unidades da empresa, nos quais é feito o trabalho de campo, que consiste em testar e pesquisar as propriedades, fazer o manejo dos recursos genéticos e multiplicar as amostras a serem enviadas para bancos internacionais, pesquisadores e empresas solicitantes.

bernadetealves.com
Banco de Germoplasma da Embrapa

Esta riqueza e biodiversidade do Brasil colabora com a segurança alimentar da população mundial desde 2012. Desta vez a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária encaminhou nesta sexta-feira (10/01) uma remessa com 3.438 amostras genéticas para o maior banco mundial de sementes na Noruega.

bernadetealves.com
Banco de Germoplasma da Embrapa

As melhores sementes do Brasil vão ficar guardadas no maior banco mundial de sementes do mundo, na cidade de Longyearbyen, no arquipélago ártico de Svalbard, graças a categoria da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, unidade da Embrapa, em Brasília.

bernadetealves.com
Brasil envia material para Banco Mundial de Sementes de Svalbard, na Noruega
bernadetealves.com
Sede do Banco Mundial de Sementes em Svalbard, na Noruega

A remessa contem a diversidade da agricultura brasileira como arroz, milho, cebola, pimentas Capsicum , e as Cucurbitáceas (abóboras, morangas, melão, pepino, maxixe, quino e melancia), que serão mantidas a uma temperatura entre 18 graus Celsius (°C) negativos e  20°C negativos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

As sementes foram acondicionadas em embalagens aluminizadas hermeticamente fechadas, identificadas com código de barras, e organizadas em caixas plásticas. No dia 25 de fevereiro de 2020, as sementes serão depositadas no Banco Mundial de Sementes de Svalbard, em uma cerimônia com a presença da Primeira Ministra da Noruega, Erna Solberg, delegados  de vários países e representantes de bancos de germoplasma. A Supervisora de Curadorias de Germoplasma Vegetal da Embrapa, Rosa Lía Barbieri, representará o Brasil e acompanhará o depósito das sementes.

bernadetealves.com
Banco Mundial de Sementes de Svalbard, na Noruega

O banco genético em Svalbard recebe e conserva sementes de bancos genéticos do mundo inteiro para protegê-las da extinção e garantir a segurança alimentar da população. Em caso de uma catástrofe global, é de lá que sairiam as amostras para o recomeço da agricultura. No interior da montanha gelada existem cerca de 1 milhão de sementes armazenadas e congeladas em câmaras de segurança máxima, planejadas e construídas para resistir a desastres climáticos e explosões nucleares.

A pesquisadora e supervisora de curadorias de germoplasma (material genético) da Embrapa, Rosa Lía Barbieri, diz que a presença da Embrapa no banco de Svalbard dá visibilidade ao Brasil no cenário internacional. “É estratégico para o Brasil essa participação, já que o Brasil tem um protagonismo no trabalho com recursos genético na América Latina, faz todo sentido que a gente mostre isso para o mundo”.

bernadetealves.com
Brasil envia material para Banco Mundial de Sementes de Svalbard, na Noruega – Bernadete Alves

Essa é a terceira vez que o Brasil envia sementes a Svalbard. Em 2014 foram enviados pela Embrapa 514 acessos de feijão e em 2012, 264 de milho e 541 de arroz. A iniciativa é decorrente do acordo assinado entre a Embrapa e o Real Ministério de Agricultura e Alimentação da Noruega, em 2008.