PMDF ensina crianças a combater mosquito transmissor de doenças

bernadetealves.com

O Aedes aegypti é um mosquito transmissor de doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Combater a proliferação do mosquito é a principal maneira de evitar as doenças. Em temporada de chuvas ele prolifera rapidamente e por isso a importância de impedir o seu nascimento.

bernadetealves.com
PMDF ensina crianças a combater mosquito Aedes aegypti

A Polícia Militar do Distrito Federal, por meio de seu grupo de teatro tem “plantado” sementes de forma lúdica, levando informações e orientações aos alunos das escolas públicas. Até agora cerca de 1,5 mil meninos e meninas já assistiram à peça específica sobre o combate ao mosquito. O super-herói lobo-guará derrota a dupla de vilões Aedes aegypti e forma uma Liga da Justiça de pequenos guardiões do meio ambiente e protetores da cidade.

bernadetealves.com
PMDF ensina crianças a combater mosquito Aedes aegypti

O Governo do Distrito Federal tem agido em várias frentes para combater o mosquito transmissor de doenças. A diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde (Dival), preparou um plano de ação onde cada órgão de governo que tem atuado no combate à dengue trabalha para evitar uma epidemia da doença. O plano envolve, além da Secretaria de Saúde, a secretaria DF Legal, SLU, Detran, DER, Secretaria de Segurança Pública (PMDF e Bombeiros) Secretaria de Educação e Administrações Regionais.

bernadetealves.com
PMDF ensina crianças a combater mosquito Aedes aegypti

O Aedes aegypti é similar a um pernilongo comum, mas se diferencia pelo corpo rajado de branco e preto e pelo hábito de picar durante o dia. Ele se alimenta de sangue humano, especialmente ao amanhecer e ao entardecer. Este mosquito costuma depositar os ovos em criadouros com água parada e limpa, como caixas d’água, garrafas e vasos de plantas. O ciclo de vida do Aedes aegypti dura cerca de 7 à 10 dias, contando do ovo à fase adulta.

bernadetealves.com

Entre janeiro e fevereiro, a Secretaria de Saúde confirmou o aumento de 294% em um mês. De acordo com boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (6/3), de 29 de dezembro de 2019 a 29 de fevereiro de 2020, foram registradas 7.010 ocorrências, enquanto, de 29 de fevereiro de 2020 a 25 de janeiro deste ano, computaram-se 1.419. Houve seis casos graves, e uma pessoa morreu em 2020.

bernadetealves.com
PMDF ensina crianças a combater mosquito Aedes aegypti

Nas estatísticas da Secretaria de Saúde foi constatado que a maioria das pessoas que pegam dengue tem mais de 60 anos e crianças que passam mais tempo dentro de casa. Ceilândia, Gama e Sobradinho 2 são as regiões administrativas com os maiores índices da doença.

bernadetealves.com

bernadetealves.com

Com a escalada dos índices de dengue no DF, o governador Ibaneis Rocha assinou, em 24 de janeiro, um decreto que declara situação de emergência no âmbito da saúde pública. A medida permanece em vigor até junho.

 

Todos nós podemos ser agentes desta luta contra o mosquito da dengue que causa riscos grandes para a saúde. O descuido de um, ameaça a vida de todos. Portanto, não vamos deixar o mosquito nascer.

Fotos:Renato Araújo / Agência Brasília