Dia da Infância: um convite para lutarmos pelos direitos das crianças

bernadetealves.com

Crescer é bom, mas ver a vida como se tudo fosse mágico só acontece durante a infância. A fase mais bonita e importante da vida para a construção da identidade e subjetividade das crianças. A infância era permeada por brincadeiras que envolviam subir em árvores, mexer na terra, na areia e correr por amplos espaços rodeados de paisagem verde. Hoje em dia isso é luxo!

bernadetealves.com

No Brasil, uma pessoa é considerada criança desde o dia em que nasce até completar os doze anos e, de acordo com a Declaração dos Direitos da Criança, nenhuma delas “será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão”. 

O 24 de agosto é o Dia da Infância, um marco e um convite para pensarmos na importância desta fase da vida e para lutarmos pelos direitos das nossas crianças. O objetivo da data é promover uma reflexão sobre as condições de vida dos pequenos e defender que todos tenham acesso aos devidos cuidados e a tudo aquilo que necessitam para um desenvolvimento pleno e harmonioso – nisto se inclui os direitos básicos de alimentação, moradia, formação social, educacional e de valores.

bernadetealves.com

Nesse dia tão importante, é crucial que as leis que garantem os direitos das crianças, sejam respeitadas e cumpridas.  São elas que asseguram às crianças os seus direitos básicos, assim como as oportunidades para que possam se desenvolver.

Os 10 princípios da  Declaração dos Direitos das Crianças  que devem ser seguidos por todos nós, são:

1- Todas as crianças são iguais e têm os mesmo direitos, não importa sua cor, raça, sexo, religião, origem social ou nacionalidade.
2- Todas as crianças devem ser protegidas pela família, pela sociedade e pelo Estado, para que possam se desenvolver fisicamente e intelectualmente.
3- Todas as crianças têm direito a um nome e a uma nacionalidade.
4- Todas as crianças têm direito a alimentação e ao atendimento médico, antes e depois do seu nascimento. Esse direito também se aplica à sua mãe.
5- As crianças portadoras de dificuldades especiais, físicas ou mentais, têm o direito a educação e cuidados especiais.
6- Todas as crianças têm direito ao amor e à compreensão dos pais e da sociedade.
7- Todas as crianças têm direito à educação gratuita e ao lazer.
8- Todas as crianças têm direito de ser socorridas em primeiro lugar em caso de acidentes ou catástrofes.
9- Todas as crianças devem ser protegidas contra o abandono e a exploração no trabalho.
10- Todas as crianças têm o direito de crescer em ambiente de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.

bernadetealves.com

É  um momento de garantir para elas o direito de ser criança e desenvolver habilidades dentro de um ambiente seguro e acolhedor.

O Dia da Infância é momento de comemorarmos a fase gostosa e cheia de descobertas que a infância pode ser, mas é também um lembrete do caminho longo e urgente que ainda precisa ser percorrido, para que os pequenos tenham oportunidade de viver o comecinho de suas vidas recebendo a devida atenção e cuidado necessário para se desenvolverem de forma saudável e equilibrada.

bernadetealves.com

Conhecimento, pensamento crítico e grandes amizades são a base de uma preparação para todas as provas da vida. A educação infantil é o início de uma aprendizagem significativa que se reflete em toda a vida. A criança começa a construir sua identidade, explorando o mundo e se expressando criativamente. Os ambientes educacionais  devem conectar cuidado e autonomia a novas amizades e descobertas inesquecíveis.

bernadetealves.com

Tratando nossas crianças com amor, respeito, cuidado, segurança e acolhimento dentro de casa e na escola estaremos formando bons cidadãos no futuro.

bernadetealves.com

O problema urgente  que tem de ser combatido pelas autoridades  é que, a cada quatro horas, uma menina entre 9 e 14 anos é estuprada no Brasil. O Estado precisa urgente proteger as crianças e combater esse crime hediondo.

bernadetealves.com

É preciso garantir para elas o direito de ser criança e desenvolver habilidades dentro de um ambiente seguro e acolhedor.