“Não se substitui a história”, diz Carlos Portilho ao tomar posse no Senado

bernadetealves.com
Presidente do Senado Davi Alcolumbre e o novo senador Carlos Portilho

Carlos Francisco Portinho, primeiro suplente do senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ), foi empossado como senador na terça-feira dia 03. Ele assume a vaga devido ao  falecimento do senador no dia 21 de outubro após complicações causadas pela covid-19.

Portilho é advogado, tem 47 anos, é formado pela PUC-RJ, e especializado em direito desportivo. Carlos Francisco Portinho foi vice-presidente jurídico do Flamengo e também advogou para clubes como Fluminense, Cruzeiro, Atlético Mineiro, São Paulo, Santos e Palmeiras. Trabalhou como professor universitário e atualmente, é sócio da Stockler Macintyre e Portinho Advogados.

Carlos Portinho, ocupou dois cargos públicos em seu Estado: foi secretário municipal de Habitação da capital fluminense, na gestão de Eduardo Paes, e secretário estadual de Meio Ambiente, no governo Luiz Fernando Pezão. Em 2016 concorreu a cargo de vereador no Rio, recebeu sete mil votos, mas não conseguiu se eleger.

bernadetealves.com
Senador Carlos Portilho

Portinho tem experiência no Congresso. Ele foi assessor parlamentar do ex-deputado Indio da Costa (PSD-RJ), colaborando na assessoria do relatório dele para a Lei da Ficha Limpa. O senador declarou patrimônio de R$ 2,5 milhões à Justiça eleitoral em 2018.

Em sessão virtual do Senado Federal, o novo representante do Rio de Janeiro no Senado Federal, Carlos Portinho,  ressaltou a importância política do senador Arolde de Oliveira. “Não me assusta o Senado. Assusta-me substituir o senador Arolde de Oliveira, porque não se substitui a história”,disse emocionado.

bernadetealves.com
“Não se substitui a história”, diz Carlos Portilho ao tomar posse no Senado Federal

“O senador Arolde se insere para sempre no rol dos grandes homens públicos deste país. Esteve na vanguarda das comunicações, contribuindo decisivamente para o avanço tecnológico do Brasil. Tornou-se grande referência no setor. Se hoje estamos vivendo o novo mundo virtual, o celular na mão de cada brasileiro, devemos muito a ele, uma pessoa doce, mas convicta das suas posições. Defensor dos valores da família e da pátria. Homem de Deus, está hoje ao seu lado, junto com Ulysses Guimarães, Tancredo Neves, expoentes da política brasileira, que, como ele, contribuíram para a construção do nosso país”, declarou Carlos Portinho.

bernadetealves.com
Senador Arolde de Oliveira e o advogado Carlos Portilho, suplente de Senador

Portinho deverá permanecer no Senado até 2026, quando se encerra o mandato de oito anos para o qual a chapa foi eleita em 2018. Ele é o primeiro suplente de Arolde. “Eu prometo concluir o seu mandato com a honra e o respeito a todo cidadão brasileiro”, declarou o senador do Rio de Janeiro.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, fez referência à carreira política de Arolde e cumprimentou familiares do ex-senador. O governador interino do Rio, Cláudio Castro (PSC), foi uma das poucas presenças físicas na posse. Os demais senadores participam da sessão por videoconferência.

“Quero cumprimentar os familiares do senador Arolde e cumprimentar Vossa Excelência. Sei que será uma grande missão honrar o mandato que o povo do estado do Rio de Janeiro deu a Vossa Excelência. Tenho certeza de que Vossa Excelência assume o mandato com esse espírito de resgatar a memória e as lutas do senador Arolde no exercício do mandato de senador da República”, afirmou o presidente do Senado Davi Alcolumbre.

Fotos: Jefferson Rudy/Agência Senado